domingo, 17 de novembro de 2013

Pró-Nacional AF Braga: CD Celoricense, 0 - Arões SC, 0

Opinião: 
Texto e fotos: Rui Silva
.
Empate soube a pouco
.
Após o jogo a meio da semana, referente à 2ª jornada, em que o Arões sofreu a segunda derrota no campeonato, técnico e jogadores queriam dar outra imagem que não a deixada no campo do Marinhas.
.
Entrando melhor no jogo o Arões, conseguindo mais posse de bola, alguns lances bem executados, mas sem criar muitas oportunidades de golo. Os celoricenses foram também à reagindo à postura aronense e procuraram zonas mais avançadas, tentando incomodar a defensiva Fafense.
.
Destaque nesta primeira parte para dois lances, um de Ismael, na marcação de um livre direto, a obrigar Barroco a esticar-se todo para evitar o golo, cedendo canto. E um ao minuto 32. Canto a favor do Arões, bola disputada no segundo poste, esta sobra para a área, onde estava Jorge Miguel que remata fortíssimo, mas por cima da barra da baliza de Barroco. Esteve perto aqui o Arões de marcar.
.
No segundo tempo, logo aos 47 minutos, uma bola metida em profundidade em Raimundo, mas este a chegar um nada atrasado, com Barroco a sair-lhe aos pés, evitando assim um lance de perigo para as suas redes. Mas seria o Celoricense a equilibrar e a tomar conta das rédeas do jogo. Talvez o jogo a meio da semana, pesasse nas pernas dos homens de Miguel Paredes e com isso os pupilos de Paulo Amor subiram no terreno, fruto de mais liberdade consentida pelo Arões.
.
Aos 67 minutos, Pedro Speed, como o nome o indica, fura a defensiva aronense, mas remata ao lado. De seguida Miguel Paredes refresca a equipa, retirando Ismael e colocando Pedro Rosita em campo. O Arões sentia alguma dificuldade em sair para o ataque, perante alguma pressão adversária. Ao minuto 72, Miguel Ângelo testa a atenção de Miguel com um forte remate, obrigando Miguel a ceder canto. No minuto seguinte responde o Arões, com Pablo a isolar Pedro Rosita, que tinha duas hipóteses, ou fazia golo ou passava a Raimundo bem posicionado, mas Barroco nega-lhe o golo certo. 
.
Nova alteração no Arões, sai Raimundo, entra Alírio. Pausa aproveitada também para a única alteração no Celoricense, entrada de Shaolin para o lugar de João Pinheiro. O jogo continuava vivo e sentia-se que o golo poderia surgir a qualquer momento. Miguel Paredes retirou ainda Bruno Cunha do miolo colocando Kéke no meio campo. O final estava aí e já nos descontos, minuto 92, o Arões desperdiçou nova oportunidade, aquando da marcação de um livre, Pablo bate ao segundo poste onde surge Jorge Miguel a cabecear … já com os poucos adeptos do Arões a gritarem golo, mas esta sai a rasar a trave da baliza de Barroco.
.
O final do encontro chegou, com a divisão pontos, um para cada lado. Mas ficou na retina ou melhor dizendo: vem-nos à memória uma expressão popular … “No aproveitar é que está o ganho”. O Arões não fez jus a esta expressão, pois teve oportunidades (claras de golo) e não as aproveitou.
.

Jogo no Estádio Municipal de Celorico de Basto

.
Árbitro: Henrique Guise Silva, auxiliado por Tiago André Dias Martins e José Pedro Costa Assis.
.
CD CELORICENSE: Barroco, André, Marinho, Tony, Domingos, Peixe, Diogo Ribeiro, Pataco, João Pinheiro (Diogo Shaolin, 79’), Pedro Speed e Miguel Ângelo. Treinador: Paulo Amor.
.
ARÕES SC: Miguel, Jorge Miguel, Fernando Beijinhos, Óscar, Zézinho, Néné, Pablo, Bruno Cunha (Kéke, 85’), Barbosa, Ismael (Pedro Rosita, 68’) e Raimundo (Alírio, 79’). Treinador: Miguel Paredes.  
.
Cartão amarelo: Fernando Beijinhos, 20’; Néné, 35’; Peixe, 69’; Domingos, 82’ e Alírio, 88’.
.

Sem comentários:

Enviar um comentário