sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Miguel Castro regressa ao Arões SC como treinador dos Juniores

Opinião: 
Reportagem: Ricardo Castro
Foto: Rui Silva 
.
Nova experiência no futebol marca regresso ao clube da terra
.
- “Está a ser um grande desafio pessoal”
Miguel Castro (ao centro) está de volta ao
clube da terra como treinador
.
É um regresso ao futebol, após uma longa carreira de 21 anos como jogador, que durou até à época de 2010/2011. Aos 35 anos, Miguel Castro, enfermeiro de profissão, está de volta ao Arões Sport Clube, abraçando agora a carreira de treinador, na equipa juniores do clube, que milita na 1.ª Divisão Distrital da AF Braga.
.
Após a saída do treinador Rui Almeida, em Novembro, Vítor Oliveira, até então treinador-adjunto, assumiu o comando da equipa. Mas após entendimento com a direção do clube, Miguel Castro consumou o regresso ao emblema aronense antes do Natal, para orientar a equipa mais velha das camadas jovens.
.
O atual treinador revela que esta experiência “está a ser um grande desafio pessoal, visto ser a minha primeira experiência como treinador. Aceitei este convite, após investir no estudo e pesquisa dos processos técnicos e táticos associados ao treino, sendo que neste aspeto, contei com uma preciosa ajuda do Professor Ricardo Vaz, que é preparador físico com um largo conhecimento e experiência no futebol profissional, e também com a colaboração do meu irmão Marcos Castro, que numa fase inicial, desenvolveu comigo, competências de liderança, comunicação e motivação de grupo, dada a sua formação académica em Psicologia, integrando atualmente a equipa técnica”.
.
Quando integrou a equipa técnica, Miguel Castro encontrou uma equipa “com baixos níveis de confiança, fruto de posição na tabela classificativa”. Desde o início, um dos seus objetivos foi estabelecer regras e organização no grupo, incutindo as suas próprias ideias inerentes a esta modalidade. “O meu papel tem sido trabalhar mesmo nisso, e através do treino promover o desenvolvimento das competências físicas, técnicas e táticas dos atletas”, salienta.
.
Após uma primeira derrota na estreia, diante do Porto D’Ave (0-4), no início do mês de janeiro, seguiram-se dois triunfos, diante do Emilianos e do Cabeceirense (6-0 e 2-3, respetivamente). O técnico da equipa considera que “estas duas vitórias foram um tónico importante para elevar os níveis de confiança do grupo”. Depois disso, surgiu uma derrota diante do Vasco da Gama no dérbi fafense (2-1) e na última jornada, um empate caseiro diante do Pencelo.
.
Dos 13 pontos até agora no campeonato, o Arões conquistou sete em cinco jogos, sob o comando de Miguel Castro e já subiu alguns lugares na classificação. “Encontrei nesta equipa jogadores com potencial, que trabalhando com dedicação e determinação formam um grupo forte, com uma elevada atitude competitiva”. Contudo, o treinador dos Juniores refere a importância de continuar a trabalhar semanalmente com intensidade. “Independentemente dos resultados, a equipa deve ter como prioridade essa mesma atitude, de forma que no final, todos tenham a sensação de dever cumprido. Desta forma, os resultados surgirão com maior frequência e naturalidade”.
.
Depois de, em jogador, ter iniciado a carreira no Arões SC, clube que representou por dois anos nos torneios da Câmara, onde foi campeão desse mesmo torneio no segundo ano, prosseguiu a sua formação na Associação Desportiva de Fafe, onde, inclusive, fez parte da equipa campeã de Juniores, que subiu ao Nacional desse mesmo escalão. O primeiro ano de sénior ficou marcado pela passagem no Atlético Cabeceirense, tendo depois alinhado por cinco anos no CD Celoricense, sagrando-se aí campeão da I Divisão Distrital. Após este período, voltou a representar clube de Cabeceiras de Basto por mais uma época - então na III Divisão Nacional. Posto isto, seguiu-se o clube da terra, o Arões SC, antes de uma paragem na carreira como jogador, entre 2007 e 2009, por motivos profissionais. As épocas de 2009/2010 e 2010/2011 marcaram o regresso ao futebol distrital e ao Arões SC, onde terminou a sua carreira no final da época 2010/2011, aos 33 anos.
.
Agora, na função de treinador, um dos filhos de Domingos Castro - figura incontornável do clube e da Vila de Arões São Romão – regressa ao clube da terra e, diga-se, tem mostrado ser uma mais-valia no crescimento dos jovens jogadores, quer como homens, jogadores e como um coletivo em busca da vitória a cada jogo.
.

Sem comentários:

Enviar um comentário