segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Pró-Nacional: Vieira SC, 1 - Arões SC, 0

Opinião: 
Texto e Fotos: Rui Silva
.
Arões enorme merecia mais
.
Quem se deslocou ao Campo Municipal de Vieira do Minho, ficou a saber o porquê de o Arões ocupar os lugares cimeiros da tabela classificativa. Sofrendo o golo da derrota de grande penalidade aos dois minutos e ficando reduzido a 10 jogadores, o Arões foi enorme durante os 90 minutos de jogo. 
.
As más condições climatéricas, deixaram um relvado encharcado com várias poças de água, mas nada que assustasse “homens de barba rija”. Logo aos dois minutos de jogo, lance que marcaria a partida. Bola metida nas costas da defensiva aronense, com Sérgio e Nelsinho a discutirem o lance, já com Miguel a apoderar-se do esférico, Sérgio com uma carga de ombro (ou mão) afasta o avançando que se estatela na área do Arões. Penalti assinalado, no minuto dois de jogo e consequente vermelho (exagerado) ao central  aronense, uma vez que o terreno de jogo estava pesado e o lance acabaria nas mão do guarda-redes Miguel. Luca, na marcação do penalti, não desperdiçou a oportunidade de colocar a sua equipa em vantagem. 
.
O Arões ainda esteve alguns minutos a recompor-se e a adaptares as condições do terreno, mas foi mostrando o seu inconformismo.
.
Aos 12 minutos, numa boa iniciativa e bem à sua imagem, Bruno Cunha arrancou até à área contrária e proporcionou a Barbosa um forte remate, fora da área, mas a bola saiu acima da baliza à guarda de Hugo. Aos 18 minutos, pediu-se novo penalti para o Vieira, quando na tentativa de aliviar de primeira, a bola bate na relva e ressalta no braço de Néné. Assim não entendeu Francisco Costa, que nada assinalou.
.
O Arões, sempre com mais posse de bola, via a espaços o Vieira aventurar-se na frente, sem nunca obrigarem os dois guardiões, Hugo e Miguel, a grandes trabalhos. Intervalo com resultado penoso para o Arões, que se viu privado de um atleta e em desvantagem desde o segundo minuto.
.
No segundo tempo praticamente só deu Arões, contrariamente ao que se pensaria, o facto de ter jogado e bem os primeiros 45 minutos com menos um atleta, o Arões deu “água pela barba” aos homens de Roger Bastos, tal foi a supremacia dos homens vindos de Fafe. Exceção foi um desperdício de Gala após um mau atraso de Beijinhos, onde a bola ficou presa no encharcado relvado e Gala, com uma via rápida para a baliza viu o “gigante” Miguel negar-lhe o golo.
.
Lances houve em que o Arões poderia ter chegado à igualdade, como aos 20 minutos do segundo tempo. Zezinho teve nos pés uma bela oportunidade, mas a bola saiu por cima. Minuto 72, Raimundo hoje muito ativo, teve na área um remate com selo de golo, mas desviada para canto.
.
Novamente Raimundo e Bruno Cunha com troca de bola à entrada da área mas na hora “h”, o remate não saiu. Pedro Rosita, que entraria para o lugar de Néné, teve aos 85 minutos um belo remate de “trivela”, com Hugo a desviar a bola (com o olhar), para o segundo poste. Raimundo, inconformado, teve ainda no primeiro minuto dos descontos um bom cabeceamento que foi desviado “in extremis” para canto.
.
O golo teimou em não aparecer, numa tarde em que o Arões foi enorme e provou uma vez mais a qualidade da equipa do concelho de Fafe. Face à contrariedade inicial do jogo os homens de Miguel Paredes realizaram uma exibição personalizada e de grande carater. Mas falando em contrariedade, outra surgiria antes do apito final, nova expulsão, de novo para o Arões e novamente um central expulso, desta feita Fernando Beijinhos a ver o vermelho direto, sem que nada o fizesse prever, pois o joga estava no seu final e nada se deslumbrou em termos de atitude incorreta do atleta do Arões, que no final assim o noticiou.
.
Segue o Arões de cabeça levantada, pelo trabalho mostrado hoje em Vieira do Minho, bem com o exibido desde o inicio da temporada, e ficou hoje bem patente que contrariamente ao que se tem dito nos “subúrbios futebolísticos”, o Arões não está a ser “levado ao colo”, e claro que os têm “chorado” há uns tempos a esta parte, têm “mexido bem os lábios e a língua”.
.
Não colocando em causa o trabalho semanal dos árbitros e seus assistentes, o facto é que desde o encontro com o Porto de Ave, nos últimos quatro jogos do Arões, foram assinalados três penaltis contra. E não foi por isso que qualquer elemento do clube viesse logo alarmado desbaratar para a praça publica. Como diz o nosso técnico, o Arões é o parente pobre deste campeonato e apenas quer ganhar cada jogo que realiza, como era o de hoje.
.
#  ficha de jogo #
.
Jogo realizado no Campo Municipal de vieira do Minho, em Vieira do Minho
.
Árbitro: Francisco Costa, Árbitros assistentes: Paulo faria e André Mendes.
.
VIEIRA SC: Hugo, Elio, Duarte, Luca (Paulinho, 87’), Bruno, Gala, Costa (Orlando, 73’), Xavier, Pedro José, Petit e Nelsinho (António, 58’). Treinador: Roger Bastos.
.
ARÕES SC: Miguel, Jorge Miguel, Fernando Beijinhos (cap.), Sérgio, Zezinho, Néné (Pedro Rosita, 81’), Bruno Cunha, Gustinho (André, 73’), Barbosa, Alírio (Garcia, 58’)e Raimundo. Treinador: Miguel Paredes.
.
Disciplina - cartão amarelo: Bruno Cunha, 40; Costa, 42; Garcia, 65’; Luca, 86'; Hugo, 93’. Cartão vermelho: Sérgio, 2’; Fernando Beijinhos, 92’.
.
Marcador: Luca, 2’.
.

Sem comentários:

Enviar um comentário