segunda-feira, 30 de junho de 2014

Opinião: a prevenção necessária

Opinião: 
Por: Ricardo Castro
.
Um de muitos incêndios que assolou Arões em 2013
Prevenir para não remediar. Com a chegada do verão, aumenta o risco de incêndios florestais. São, portanto, necessárias (muitas) medidas de prevenção. Este ano, de 1 de julho a 30 de setembro, vigora o período crítico no âmbito do Sistema de Defesa da Floresta Contra Incêndios.
.
Como se sabe, esta estação do ano proporciona muitas saídas de campo. De família a amigos, os espaços agrícolas transformam-se com o bom tempo, onde muitas vidas dão mais cor ao verde das florestas. Contudo, tal como o ser humano preenche o vazio quase anual desses espaços, muitas vezes acaba por destruir a própria essência da natureza. Muitas vezes são milhares de hectares. Por vezes, com infortúnio, são vidas humanas que se perdem.
.
E porquê? A verdade é que, apesar do intenso calor característico do verão, o próprio Homem é que causa muitos dos fogos florestais, incessantemente combatidos pelos Bombeiros Voluntários, verdadeiros heróis, a ferro e fogo, na luta contra… o próprio fogo. Homens que fazem total jus ao lema ‘Vida por Vida’.
.
Tal como o tabaco ou as drogas são um problema social, diretamente relacionados com a saúde pessoal, também os incêndios o são – para a natureza, biodiversidade e para as populações. Além disso, hoje temos acesso à informação como nunca, para o que quer que seja. Por descuido, ou de forma propositada, mudar o comportamento em relação às florestas é uma questão de mentalidades.
.
E cabe a cada um alertar, de forma constante, para o perigo que é deixar um simples papel num mato. É esse papel que pode escrever (mais) uma história triste. Um papel que muda um cenário verde e bonito para um cenário escuro e dramático.
.
Chamo aqui o ditado: ‘cada macaco no seu galho’. Com bom senso, as pessoas podem muito bem realizar queimadas ou fogueiras em zonas próprias e de forma legal. Acredito que este sentido de cooperação poderia ser um bom princípio.
.
Não exponho aqui qualquer novidade. Mas tal como a cada ano se reforçam os votos de ‘Feliz Natal’, ou ‘Feliz Ano Novo’, creio não ser demais, quando chegados a um novo verão, alertar para a prevenção florestal. Certamente diminuir-se-ão mais prejuízos naturais.
.

Sem comentários:

Enviar um comentário