terça-feira, 29 de julho de 2014

Arões SC: a perspetiva dos oito reforços para 2014/2015

Opinião: 

Texto e fotos: Ricardo Castro
.
Vontade de (re)colocar o clube nos lugares cimeiros
.
Além de ter garantido 17 dos 20 jogadores que terminaram a última época, o Arões assegurou oito caras novas, aumentando o número de opções e a competitividade do plantel, também no sentido de combater a escassez de atletas em vários jogos de 2013/2014. Os reforços chegam a Arões com vontade e esperam, regra geral, ajudar o clube a fazer uma época ao nível da última.
.
O reforço mais sonante, Filipe, espera “ser mais um para ajudar o clube”. E os 39 anos não são um problema para o avançado. “Se não me sentisse bem, não estaria aqui e já tinha abandonado”, referiu. Para o ex-jogador do Fafe, o “futebol profissional acabou e com a idade, decidi jogar num clube amador mas honesto e honrado e por isso estou aqui”. Sobre a nova época, Filipe quer “trabalhar para ganhar um lugar na equipa, com o objetivo de ganhar jogo a jogo para o Arões andar nos lugares de cima”.
.
Do ataque para a baliza, João Sampaio representa, pela primeira vez, um clube da terra. Para a época que se aproxima, o ex-Serzedelo é otimista. “O grupo manteve-se praticamente todo da época anterior e só tenho de esperar um bom campeonato”, afirmou. Questionado sobre a concorrência com Paulo Jorge e Fábio para a baliza, João espera “uma luta saudável, porque quem sai a ganhar é o Arões”.
.
No setor defensivo, Miguel Paredes viu sair Jorge Miguel, mas conta agora com três jovens e ambiciosos jogadores. Rui Rampa sublinha a chegada ao Arões com uma oportunidade de “evoluir e aprender”, mas “jogar e entrar no onze inicial é um objetivo”. Sem esperar facilidades, Rampa promete “muito trabalho, dedicação e se a oportunidade surgir, vou tentar agarrá-la”, concluiu. Questionado sobre se a equipa tem capacidade para estar nos lugares cimeiros, o central afirma: “no que depender de mim, vai continuar de certeza”.
.
Filipe, um dos reforços sonantes do Arões SC
Opinião semelhante tem Nandinho, salientando que “a equipa pode continuar lá em cima” no campeonato. O defesa destaca a manutenção de “maior parte do plantel, que agora tem algumas caras novas e de qualidade”. O ex-Maria da Fonte sabe que a “responsabilidade é enorme, porque o Arões conquistou um terceiro lugar no ano passado”. Contudo, “a ambição é melhorar e conforme o grupo e o que a direção e o treinador pedirem, vamos fazer uma época dentro do possível”, afirmou. O jogador de 23 anos não conhecia o novo treinador, mas espera uma “experiência que corra da melhor maneira”.
.
Já o lateral-direito brasileiro Marcos, uma das três novidades da apresentação, quer conquistar um lugar na equipa, mas afirma que o mais importante é ganhar “a confiança do grupo”. O jogador, que em Portugal já representou o Tourizense por duas épocas (uma como júnior/sénior e outra como sénior), o Vitória B e o Famalicão por meio ano cada e o Travassós por uma época, afirma que “a nível coletivo o objetivo é estar no topo da tabela”. “Estava com outros objetivos na carreira, mas quando o Arões falou mostrei-me disposto para o acordo”, revelou o jovem de 21 anos.
.
O Arões manteve todo o núcleo do meio-campo e apenas recrutou um jogador, Agostinho. “Vim de uma época complicada, com uma lesão e agora espero ajudar este clube conforme posso, dando tudo o que tenho”, afirmou o médio de 25 anos, que jogou no Campeonato Nacional de Seniores na última temporada. Com o infortúnio no menisco externo resolvido, Agostinho acredita que a equipa pode “pensar em algo mais” na classificação, “mas só com a época é que podemos ver o que acontece”, rematou outra das novidades na apresentação do clube. Antes de chegar a Arões, Agostinho esteve um ano no Felgueiras, outro no São Paio de Vizela, três épocas no Barrosas e duas no Lixa.
.
No ataque, o Arões reforçou-se, além de Filipe, com mais dois jogadores. Zézé e Hélder Oliveira. Aos 34 anos e depois de oito temporadas no Santa Eulália, Zézé tece elogios ao emblema aronense, que é “um clube que valoriza as pessoas, tem uma maneira de estar no futebol e foi o que me fez aceitar o projeto”, salientou. Além disso, Zézé diz conhecer “a realidade do Arões e os jogadores e isso foi o também o que motivou”. Acerca da nova época, Zézé garante trabalho “para ajudar a tentar que o Arões esteja sempre nos lugares de cima, que é o objetivo da equipa e o objetivo pessoal”. Por seu turno e depois de uma época sem clube, Hélder Oliveira espera “ajudar a equipa o máximo possível e a nível pessoal, tentar manter a forma para voltar a um bom nível”. Aos 24 anos, o dianteiro já passou pelo Moreirense e pelo Fair-Play, depois de ter iniciado a sua formação, precisamente em Arões.
.

Sem comentários:

Enviar um comentário