terça-feira, 26 de agosto de 2014

Arões SC - FC Marinhas (1-0): declarações dos treinadores

Opinião: 
Foto: Ricardo Castro
.
No final da partida, que terminou com a vitória tangencial do Arões sobre o Marinhas, o treinador da casa, Miguel Paredes, salientou a importância de ter ganho o jogo. Uma "vitória justa", segundo o técnico fafense. Já Vasco, treinador-adjunto de Jó Faria no Marinhas, aludiu à boa prestação da equipa, que só teve "duas semanas e meia de preparação" para a competição oficial. Leia as declarações de ambos na íntegra:
.
Miguel Paredes
Miguel Paredes, treinador do Arões SC:
.
“O primeiro jogo é sempre difícil, há muita ansiedade. Nos últimos anos temos começado em casa e têm sido sempre jogos de muita dificuldade. Há dois anos empatamos com o Travassós, no ano passado foi um jogo muito equilibrado com o Porto D’Ave, que terminou 3-2, com expulsões e assim os jogadores não se conseguem libertar. E neste jogo tivemos mais uma dificuldade, o calor. Por azar todos os jogos que fizemos (na pré-época), mesmo sendo de tarde, estava a chover. Estivemos ansiosos e o Marinhas é uma equipa muito difícil, joga muito direto a bola nos avançados. Mas nós temos obrigação de mais e melhor. Estou bastante satisfeito com a vitória, mas não tanto com o futebol produzido. Temos algumas limitações como o Pablo e o Bruno que nos dão outra qualidade na posse e outro desequilíbrio no meio. Mas temos outras armas para ganhar os jogos e penso que foi uma vitória justa. O importante era ganhar e isso foi conseguido.”  
.
Vasco, treinador-adjunto do FC Marinhas:
.
“Contrariamente às equipas de Guimarães e Braga, nós começamos sempre mais tarde. Pedimos o adiamento deste jogo, mas devido às vicissitudes do campeonato, de não haver paragens até dezembro e da impossibilidade de haver jogos à quarta-feira por parte do Arões, tivemos de o fazer. Mas para duas semanas e meia de preparação, acho que a nossa equipa portou-se muito bem. O Arões tem a sua base da equipa do ano passado, foi reforçada em qualidade com o Filipe e o Zezé e sabíamos o tipo de jogo neste campo. Dimensões reduzidas, um campo onde há muita luta e não nos surpreendeu o tipo de jogo que foi. Resolveu-se num pormenor, uma bola de fora da área, em que faltou alguém que saísse ao portador da bola. Foi um remate colocado, um bocado lento, mas deu o 1-0. Só de bola parada existiu perigo nas duas balizas. Mas para primeiro jogo, o Marinhas fez um bom jogo, foi uma equipa organizada, que perdeu num pormenor, contra uma equipa com mais preparação. Mas havemos de chegar lá e somos uma equipa a ter em conta na luta pelos primeiros lugares, tal como o Arões assumiu. É esse o objetivo.” 
.

Sem comentários:

Enviar um comentário