sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Arões joga em Merelim este domingo

Opinião: 

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Resultados da formação do Arões SC

Opinião: 
Campeonatos distritais da AF Braga
.
Juniores:
Arões SC - Prazins e Corvite [3-0]
.
Juvenis:
Unidos do Cano - Arões SC [0-3]
.
Iniciados:
Arões SC - Barco Academia [6-1]
.
Infantis:
Arões SC A - Salgueiral [11-0]
Moreirense - Arões SC B [5-0]
.
Benjamins:
Arões SC - Vitória SC [1-8]
.
Liga de Futsal Juvenil:
.
Traquinas:
Arões SC (A) - Ribeiros [7-1]
Arões SC (B) - Antime (A) [0-12]
.
Petizes:
Colégio (B) - Arões S  (A) [0-21]
Colégio (A) - Arões SC (B) [7-0]
.

Juniores: Arões SC, 3 - Prazins e Corvite, 0

Opinião: 
Redação | Foto: Rui Silva
.
Uma equipa de mão cheia
.
- Marcaram Cenoura, Miki e Barros
.
Ao quinto jogo, quinta vitória dos juniores do Arões, desta feita sobre o Prazins e Corvite. Uma vitória justa perante uma equipa forte e equilibrada, mas com excesso de agressividade em muitos lances. Cenoura abriu o marcador na sequência de um livre, onde beneficia de uma escorregadela do guarda-redes adversário. Igualmente de livre direto, cobrado por Miki, a equipa da casa chega ao segundo golo. Num lance dividido entre Barros e um defesa adversário, a equipa de Miguel Castro faz o 3-0 final.
.
O jogo começou com muita disputa a meio campo. Nesta fase, a equipa visitante conseguiu ligeira vantagem. Mais troca de bola, ganhando os duelos individuais com mais frequência efetuando trocas rápidas de flanco. Contudo, as investidas foram bem resolvidas pela defensiva da equipa da casa. O Arões tentava responder com algumas arrancadas de Miki, colocando sempre em sentido a defesa contrária.
.
A meio da primeira parte, a turma aronense começou a acertar as marcações e a equilibrar a luta a meio campo. À passagem da meia hora de jogo, num livre descaído para a esquerda, Cenoura inaugura o marcador, beneficiando de uma escorregadela do guarda-redes adversário. O jogo chegou ao intervalo com a vantagem do Arões.
.
Na segunda, parte o Arões partiu a procura do golo que ampliasse a vantagem no marcador. Miki teve uma grande oportunidade, ao ganhar em velocidade aos defesas adversários e sobre a direita, um remate de trivela ao qual o guarda-redes adversário defendeu para canto. O Arões não tirava o pé do acelerador. Cenoura, com um bom passe, desmarcou Jorge que sobre a esquerda que em velocidade rematou forte. Mas a bola passou ligeiramente acima da trave. O segundo golo nasce na sequência de um livre direto apontado por Miki, que rematou colocado tendo o guarda-redes adversário tocado na bola, sem conseguir evitar que fosse ao fundo das redes.
.
A equipa visitante tentou reduzir a desvantagem no marcador , colocando mais unidades na zona ofensiva e em lances de bola parada onde colocava vários jogadores. Contudo, num lance de contra ataque, Miki sobre a esquerda ganhou em velocidade ao seu opositor e perante a saída do guarda redes, serviu Barros e este, num lance divido com o defesa adversário, colocou a bola no fundo das redes estabelecendo o resultado final. Vitória justa e alcançada com mérito pela equipa de Miguel Castro que segue na liderança partilhada com o Polvoreira e na próxima jornada desloca-se ao terreno do Fareja.
.

domingo, 26 de outubro de 2014

Juvenis: Unidos do Cano, 0 - Arões SC, 3

Opinião: 
Texto: Ricardo Castro
.
Unidos na liderança
.
- Telmo abriu e Marcelo bisou
.
Uma equipa intacta. Quatro vitórias em quatro jogos, 19 golos marcados, uma defesa ainda a zeros e liderança isolada, ao fim de cinco jornadas. Os juvenis do Arões, orientados por Ricardo Cunha, foram ao reduto dos Unidos do Cano vencer por três bolas a zero.
.
Diz-se que o segredo do sucesso é também fruto do trabalho em equipa. E os aronenses têm-no mostrado. De dentro para fora. Do balneário para o campo. Dos treinos para os jogos.
Em mais uma batalha, o marcador não se alterou na primeira parte. A equipa da casa, unida em busca dos primeiros pontos, viu um Arões com vontade de dar seguimento à série vitoriosa. Os conjuntos anularam-se e o intervalo chegou sem golos.
.
Na segunda parte, as ocasiões desperdiçadas deram lugar à eficácia. Aos 47 minutos, Telmo inaugurou o marcador. Volvidos nove minutos, Marcelo dobrou a vantagem, na marcação de um canto. O mesmo Marcelo bisou e fixou o resultado final, aos 62 minutos.
.
Depois de mais uma vitória, num duelo de extremos na classificação, o Arões recebe o Vasco da Gama. O dérbi fafense é um dos jogos em destaque, na sexta jornada do campeonato.
.

sábado, 25 de outubro de 2014

André Pereira: "No geral foi uma vitória justa"

Opinião: 
Foto: Ricardo Castro
.
“Penso que no geral foi uma vitória justa, por tudo o que fizemos principalmente na primeira parte, mas ao mesmo tempo sofrida.”
.
“Sabíamos da qualidade do Arões. Tentamos corrigir algumas situações para este jogo e penso que nos trouxe alguns benefícios. Acabamos por fazer dois golos, fomos bastante eficazes na primeira parte.”
.
“Na segunda parte, sabíamos que o Arões ia tentar inverter o resultado. Nós íamos ter de defender mais, estávamos preparados para isso.”
.
“Quando se defende uma grande penalidade, galvaniza uma equipa. Estava 0-0 e certamente que, à meia hora de jogo, as coisas iam ser diferentes se a tivessem marcado.”
.

Miguel Paredes: “Dos jogos que mais me custa perder”

Opinião: 
Foto: Rui Silva
.
Palavras do treinador do do Arões, Miguel Paredes depois da derrota deste sábado, diante do Brito:
.
“Este é dos jogos em que mais me custa perder. Nos primeiros cinco minutos não estivemos bem, mas depois dominamos o jogo completamente. Tivemos várias situações para marcar, falhamos um penálti e depois demos dois golos, em duas vezes que foram perto da nossa área.”
.
“Ao intervalo, eu disse que íamos conseguir dar a volta. Entramos bem, fizemos dois a um. Depois, novamente um erro. Demos o golo ao adversário e o segundo golo chegou tarde.”
.
“Praticamente não permitimos nenhuma oportunidade ao adversário e sofremos três golos, porque oferecemos os golos. Foi um jogo repleto de erros, defensivos e ofensivos.”
.
“Estes jogos marcam e o que eu digo aos jogadores é que por vezes o jogo está de uma forma e vira completamente. Até ao penalti estávamos a jogar bem, a trocar a bola e a dominar. Falhamos o penalti, a equipa caiu animicamente. Uma equipa que comete os erros que cometemos não pode ganhar o jogo.”
.
“Os problemas são pontuais. Na semana passada (nas Taipas), fizemos um excelente jogo, defensivamente bem. Contra o Maria da Fonte, cometemos um erro e sofremos um golo.”
.
“Quando os adversários nos ganharem, que ganhem por mérito. E isso não está a acontecer. Estamos a dar tiros nos próprios pés.”

“Tivemos uma percentagem muito grande de posse de bola, de ataques, remates e oportunidades. Não conseguimos, o nosso adversário foi feliz e parabéns a eles. Resta-nos trabalhar para ir recuperar estes três pontos a Merelim.”
.

Pró-Nacional: Arões SC, 2 - Brito SC, 3

Opinião: 

Texto: Ricardo Castro | Fotos: Rui Silva
.
Erros defensivos custam caro
.
Quem erra, paga. E o Arões pagou. Depois de uma grande penalidade desperdiçada, a defensiva aronense ‘deu’ dois golos ao Brito. Na segunda parte, Rampa lançou a equipa para a discussão do resultado. Mas novo erro ditou o 1-3. Marquinhos ainda reduziu. Porém, o Arões voltou às derrotas: a terceira em dez jornadas.
.
O Arões teve um início de jogo prometedor. Mais ofensivo, a remeter o Brito para trás. E as oportunidades foram surgindo. Logo aos três minutos, Bruno Cunha picou a bola para André. Mas o domínio não foi o melhor e Manel segurou.
.
Aos 15 minutos, Barbosa entrou na área e rematou cruzado. Manel defendeu com dificuldade e o perigo passou, depois de um remate desenquadrado de Zezé.
.
Aos 18 minutos, o primeiro de três capítulos para o Arões esquecer na primeira parte. Na área do Brito, Bruno Cunha foi derrubado por Luís. João Moreira apontou para a marca de grande penalidade. Contudo, Zezé permitiu a defesa de Manel.
.
O Arões carregava. E os visitantes espreitavam o contra-ataque. Aos 29 minutos, o primeiro golo da partida, num lance mal abordado por Paulo Jorge. O guardião aronense não segurou o cruzamento de Leandro e a bola sobrou para Ricardo Cruz. Com um remate frouxo, o avançado inaugurou o marcador.
.
Pouco depois, o segundo. No meio campo defensivo, Leandro colocou a bola em profundidade nas costas da defesa aronense. Paulo Jorge não se entendeu com Rampa e a bola ficou à mercê de Ricardo Cruz. Com Rampa pela frente, o nº9 bisou na partida. Antes do intervalo, Michael obrigou Paulo Jorge a grande defesa.
.
Na segunda parte, um Arões com outra atitude. Aos 56 minutos, Miguel Paredes lançou Gustinho e Agostinho para os lugares de Barbosa e André. E o efeito alteração resultou. Três minutos depois, Rampa cabeceou para o fundo da baliza. Uma entrada fulminante ao segundo poste, após livre de Marquinhos.
.
A equipa da casa estava com a ‘carne toda no assador’. Mas na hora da finalização, pecava. Ou via Manel a socar a bola para fora da área. Receio de falhar, confundido com a vontade de fazer bem. Aos 68 minutos, Pablo rematou à entrada da área. Manel segurou.
.
O Arões não marcou. E voltou a sofrer, num contra-ataque iniciado no meio-campo. Nexa deixou Rampa para trás e bateu Paulo Jorge, pela terceira vez. O desespero pairou sobre as cores aronenses.
.
Miguel Paredes lançou Garcia na última substituição. E foi o extremo a pôr à prova Manel, que evitou o golo perto dos descontos. Pouco depois, o Arões reduziu. Bola tensa para a área do Brito, Marquinhos surgiu solto e marcou de cabeça na recarga, depois de um remate defendido. Contudo, os instantes finais foram insuficientes para o Arões chegar a novo golo. E o Brito levou os três pontos para casa.
.
Jogo realizado no Parque Desportivo Centro para a Formação e Juventude de Arões.
.
Árbitro: João Gabriel Moreira, auxiliado por Paulo Leitão e Andreia Sousa (AF Braga).
.
ARÕES SC: Paulo Jorge, Marquinhos, Fernando Beijinhos (cap.), Rampa, Zezinho, Néné, Barbosa (Gustinho, 56'), André Sampaio (Agostinho, 56'), Bruno Cunha, Pablo e Zezé. Treinador: Miguel Paredes.
.
BRITO SC: Manel, Gil, Leandro, Michael, Paulinho, Ricardo Cruz (cap.) (Dinis, 70'), Meira, Vasco, André, João Ribeiro (Nexa, 46') e Luís. Treinador: André Pereira.
.
Disciplina - cartões amarelos: Barbosa, 14', João Ribeiro, 17', Gil, 21', Pablo, 34', Marquinhos, 38', Rodrigues, 42', Fernando Beijinhos, 54', Paulinho, 66', Dinis, 73', Néné, 75', Manel, 87', Luís, 90+3'.
.
Marcador: Ricardo Cruz, 29' e 35', Rampa, 59', Nexa, 79' e Marquinhos, 90+1’.
.

Arões SC, 2 - Brito SC, 3 | em direto

Opinião: 
Jogo realizado no Parque Desportivo Centro para a Formação e Juventude de Arões.
.
Árbitro: João Gabriel Moreira, auxiliado por Paulo Leitão e Andreia Sousa (AF Braga).
.
ARÕES SC: Paulo Jorge, Marquinhos, Fernando Beijinhos (cap.), Rampa, Zezinho, Néné, Barbosa (Gustinho, 56'), André Sampaio (Agostinho, 56'), Bruno Cunha, Pablo e Zezé. Suplentes: João Nunes, Kéke, Pedro Rosita, Nandinho, Agostinho, Gustinho e Garcia. Treinador: Miguel Paredes.
.
BRITO SC: Manel, Gil, Leandro, Michael, Paulinho, Ricardo Cruz (cap.) (Dinis, 70'), Meira, Vasco, André, João Ribeiro (Nexa, 46') e Luís. Suplentes: Rodrigues, Sílvio, Diogo, Dinis, Nexa, Nelson e Vítor Hugo. Treinador: André Pereira.
.
Disciplina - cartões amarelos: Barbosa, 14', João Ribeiro, 17', Gil, 21', Pablo, 34', Marquinhos, 38', Rodrigues, 42', Fernando Beijinhos, 54', Paulinho, 66', Dinis, 73', Néné, 75', Manel, 87', Luís, 90+3'.
.
Marcador: Ricardo Cruz, 29' e 35', Rampa, 59', Nexa, 79' e Marquinhos, 90+1'.
.
Minuto de silêncio em memória de Armando Pereira, treinador do Grupo Desportivo de Pedralva.
.
Início do jogo:

3’- Bruno Cunha picou a bola, André surgiu nas costas mas o domínio não foi o melhor e Manel segurou a bola.
.
9' - Livre de André para a área e Paulo Jorge a socar a bola com alguma dificuldade.
.
15' - Barbosa dribla, entra na área e remata para defesa apertada de Manel. Na recarga, Marquinhos cruzou da direita e Zezé rematou de primeira ao segundo poste, mas a bola saiu muito por cima.
.
18' - Barbosa cruza da direita e Bruno Cunha é derrubado na área por Luís. João Moreira apontou para a marca de grande penalidade. Na conversão, Zezé viu Manel negar-lhe o primeiro da partida.
.
29' - Leandro cruza da esquerda, Paulo Jorge falha na defesa, a bola ressalta para Ricardo Cruz, que com um remate frouxo de primeira, faz o golo inaugural.
.
35' - Passe longo de Leandro para as costas da defesa, Paulo Jorge falha no entendimento com Rampa e Ricardo Cruz fica à mercê da bola, marcando o segundo sem dificuldade. 100% de eficácia dos visitantes.
.
42'- Remate de Michael à entrada da área. Grande defesa de Paulo Jorge para canto.
.
Intervalo [0:2]
.
2.ª Parte:
.
André Pereira tirou João Ribeiro e lançou Nexa para a segunda parte.
.
55' - Arões em busca de reduzir a desvantagem. Dupla substituição, com Miguel Paredes a tirar Barbosa e André, lançando Gustinho e Agostinho.
.
A equipa de Miguel Paredes está completamente no meio campo adversário nos últimos minutos. A defensiva do Brito está a suster a vantagem.
.
59' - Golo do Arões. Livre estudado da direita de Bruno Cunha, com Marquinhos a cruzar para a área e Rampa, ao segundo poste, a cabecear de forma irrepreensível para o 1-2.
.
68' - Remate de Pablo à entrada da área, Manel segurou.
.
79' - Contra-ataque do Brito, Nexa ganha perante Rampa e bate Paulo Jorge. 1-3.
.
90' - Remate em arco de Garcia, Manel soca a bola.
.
90+1' - Golo do Arões, por Marquinhos. Cruzamento tenso para a área, o brasileiro surge perante Manel e após um primeiro remate defendido, o lateral direito saltou mais alto e reduziu.
.
Arões a carregar em busca do empate, mas sem sucesso. Vitória do Brito, por três bolas a duas.

domingo, 19 de outubro de 2014

Pró-Nacional: CC Taipas, 0 - Arões SC, 4

Opinião: 
Texto e fotos: Rui Silva
.
Aronenses foram verdadeiros caçadores
.
- Zezé bisou depois dos golos de Bruno Cunha e Zezinho 
.
O Arões deslocou-se ao Campo do Montinho e venceu a equipa local, o Clube Caçadores das Taipas, por quatro bolas a zero. Bruno Cunha abriu o ativo, Zezinho ampliou e Zezé fez o terceiro, ainda na primeira parte. Na etapa complementar, o avançado ex-Santa Eulália bisou e fixou o resultado.
.
Os aronenses venceram na última jornada em casa o Maria da Fonte, mas tinham ainda na memória a derrota pesada em Serzedelo e defrontava esta tarde um forte adversário que vinha moralizado da jornada anterior com a vitória forasteira em Porto de Ave por 4-2. Este jogo afigurava-se de extrema dificuldade para os pupilos de Miguel Paredes, mas quando se juntam qualidade à vontade à atitude, tudo fica mais simples. E assim foi, a equipa do Arões caçou com facilidade no campo do Montinho.
.
Na primeira meia hora de jogo o Arões construiu o resultado que prevalecia ao intervalo. A equipa fafense mostrou-se autoritária no relvado e foi com naturalidade que os golos foram surgindo.
.
O primeiro golo acontece aos sete minutos, quando Barbosa sobre a esquerda, cruza para Bebeto emendar na pequena área, inaugurando o placar. Em vantagem o Arões foi dominando e jogava no campo adversário, quando aos 17 minutos, Barbosa, bem posicionado na área taipense, remata forte para defesa de André. Zezinho, na recarga, aproveita e faz o 0-2.
.
O Taipas em dificuldade viu o Arões criar perigo em diversas ocasiões e no minuto 30, André confiante, tentou o remate “do meio da rua” surpreendendo André, a bola vai à barra e o “caçador de golos” Zézé, oportuno toma posse da bola e faz o terceiro golo para o Arões.
.
Fernando Marques nada satisfeito, efetua dupla substituição ao minuto 35, retira André Campos e Dúnio, lançando o experiente Zé Manel e o Fafense Rúben Fernandes, procurando abanar “as tropas”.
.
Efeito das substuições ou não, a cinco minutos do intervalo, Zé Manel só perante Paulo Jorge desperdiçou soberana oportunidade, rematado ao lado.
.
Seguram-se dois cantos para os taipenses, sem perigo para as redes do Arões que foi para intervalo em vantagem com três golos sem resposta.
.
No segundo tempo, a reação do Taipas, Ao minuto 48, Paulo Jorge resolveu, afastando o perigo da sua área. O Arões com resultado folgado, voltaria a criar perigo junto da baliza Taipense. Minuto 53, o pé esquerdo de Pablo isola André que só perante o seu homônimo atira à malha lateral.
.
Pablo estaria de novo em destaque ao minuto 63, desmarcando Bruno Cunha que transportaria a bola até à entrada da área, entregando-a depois para Zezé bisar e fazer o quarto golo para o Arões.
.
A vinto minutos dos noventa, Miguel Paredes mexia e refrescava a sua equipa, retirando primeiro Bruno Cunha, entrando Agostinho e depois saia Pablo para a entrada de Gustinho. Na tentativa de gerir a equipa e o jogo, cinco minutos depois nova alteração no Arões, sai André entra Pedro Rosita.
.
Até ao final do encontro, apenas dois apontamentos, um para o lance de Zézé (Taipas) que cabeceou a bola, à baliza de Paulo Jorge, passando esta rente à barra. E outro aos 92 minutos, numa discórdia manifestada por parte do banco aronense, após lance aparentemente mal ajuizado do juiz da partida, resultaria de forma exagerada na expulsão de Raimundo, para surpresa de todos, pois o juiz da partida tinha passado despercebido da partida, com arbitragem de bom nível.
.
Na próxima jornada o Arões recebe o Brito SC que foi derrotado hoje em casa por 1-2 pelo Porto de Ave. Este encontro será disputado já no horário de inverno, soando o apito inicial da partida às 15h00 do próximo sábado, 25 de outubro.
.
# ficha do jogo
.
Jogo realizado no Campo do Montinho Caldas das Taipas, Guimarães.
.
Árbitro: Jorge Fernandes, auxiliado por João Pinheiro e Miguel Silva.
.
CC TAIPAS: André, João Paulo, Francisco, Bruno Machado, Berto, Bruno, Dúnio (Rúben Fernandes, 35’), André Campos (Zé Manel, 35’), Peixe, Abdou, e Zézé. Treinador: Fernando Marques.
.
ARÕES SC: Paulo Jorge, Marquinhos, Fernando Beijinhos, Rui Rampa, Zezinho, Nené, Barbosa, Bruno Cunha (Agostinho, 68’), Pablo (Gustinho, 70’), André (Pedro Rosita, 75’) e Zezé. Treinador: Miguel Paredes.
.
Disciplina - cartão amarelo: Zézé, 50’; Berto, 55’; Bruno, 57’ e Zézé (Taipas), 91’. Cartão Vermelho: Raimundo, 92’.
.
Marcador: Bruno Cunha, 7´; Zézinho, 17’; Zezé, 30’ e 63’.
.

Juvenis: Ases São Jorge, 0 - Arões SC, 3

Opinião: 
Texto: Ricardo Castro | Foto: António Cardoso 
.
Telmo abriu e Hugo bisou
.
- Aronenses só sabem ganhar e mantêm defesa a zeros 
.
Intacta, eficaz. E perfeita. Pelo menos em resultados. Assim vai a caminhada dos juvenis do Arões no campeonato. Desta feita, no dérbi fafense, a equipa de Ricardo Cunha levou a melhor sobre o Ases de São Jorge. Três golos sem resposta, num reforço do excelente início de época.
.
Ao fim de três jornadas, as estatísticas não enganam: nove pontos, 16 golos marcados e um registo defensivo incólume. Na classificação, só o Vieira supera o Arões, com dez pontos em quatro jogos (recorde-se que os aronenses folgaram na primeira jornada).
.
Mas para atingir estas estatísticas, foram precisos 90 minutos de grande intensidade. E sabe-se que os jogos entre equipas fafenses são sempre duros. Dado o apito inicial, ambas as formações mostraram intenção de assumir o jogo. De parte a parte, várias ocasiões. Até que, ao minuto 26, o Arões se adiantou no marcador. Na sequência de um livre lateral, Telmo fez o primeiro.
.
Já perto do intervalo, os visitantes dobraram a vantagem. Hugo surgiu na cara do guarda-redes, driblou e fez abanar a rede pela segunda vez. Estavam decorridos 39 minutos.
.
Na segunda parte, lance duvidoso na área do Arões. Álvaro saiu da baliza, ficando a dúvida se cortou a bola com a mão ou com o peito. Mas o jogo seguiu, com protestos dos locais.
.
Aos 57 minutos, Hugo inspirou-se. Grande remate fora da área, a fixar o resultado em 0-3. Até final, ambos os conjuntos tiveram oportunidades. Equilíbrio e grande disputa, num jogo em que o pragmatismo e a eficácia valeram à equipa aronense.
.
Na próxima jornada, o Arões visita o ‘lanterna vermelha’, Unidos do Cano. Já os Ases de São Jorge, que sofreram a primeira derrota, estando agora no 5.º lugar com sete pontos, visitam o Vasco da Gama, em mais um dérbi fafense.
.

Agrupamento goleia Serafão na abertura do campeonato

Opinião: 
Texto: Ricardo Castro | Foto: DR
.
Aronenses aplicam chapa quatro no dérbi (4-1)
.
O Agrupamento de Santa Cristina entrou da melhor maneira no campeonato de futebol popular ao derrotar o vizinho Serafão no dérbi fafense, por 4-1.
.
Jogar em inferioridade nem sempre é sinónimo de vantagem. E o dérbi entre Agrupamento e Serafão mostrou isso mesmo. A equipa aronense marcou primeiro: Neves adiantou os visitados na primeira parte. E o intervalo chegou com o 1-0 no marcador. Contudo, na segunda parte, aos 65 minutos, Moura foi expulso. Falta na área e grande penalidade para o Serafão. Pinheiro deixou, de novo, tudo empatado.
.
Com mais um e com a motivação da igualdade, o vento poderia soprar a favor dos visitantes. Mas foi o Agrupamento a marcar. Aos 70 minutos, Fred repôs a vantagem dos locais. Até final, ainda houve tempo para construir uma vantagem mais larga. Cardoso fez o 3-1 e Ricardo fixou o resultado em 4-1.
.
Na próxima jornada, o Agrupamento joga no reduto do Águas Santas/Moure, equipa que perdeu por 4-1 em Cepães. Já o Serafão recebe o Galegos, que folgou na primeira ronda.
.

sábado, 18 de outubro de 2014

Miguel Castro: "Jogadores deram a resposta esperada"

Opinião: 

Foto: Rui Silva
.
Palavras do treinador da equipa júnior do Arões, Miguel Castro, depois da vitória por 3-0 frente à equipa d' Os Sandinenses:
.
“Esta partida não foi de hoje. Começa na semana de treinos que a gente preparou e alertou que este podia ser o jogo mais fácil para perder, porque tínhamos três vitórias e no ano passado, toda a gente sabe como correu o campeonato. Tivemos de ser humildes, ter espírito de sacrifício e união, que é isso que este novo grupo tem apresentado e estávamos alertados para isso. Mas os jogadores deram a resposta que a gente queria durante a semana, que foi a união, o sacrifício, lutando todos, um plantel inteiro que é grande. E deram a resposta que a gente estava à espera. Conhecendo como quem conhece estes jogadores, só estamos à espera de uma resposta deste nível”.
.

Jorge: "É sempre bom marcar"

Opinião: 

Foto: Rui Silva
.
Palavras do jovem extremo da equipa júnior do Arões, Jorge, depois da vitória por 3-0 diante da equipa d' Os Sandinenses:
.
“Foi um bom jogo, entramos bem na partida e marcamos logo. Jogámos para ganhar. É sempre bom marcar, entrei bem na segunda parte e fiz dois golos. Nas próximas jornadas vamos entrar sempre em campo para vencer.”
.

Juniores: Arões SC, 3 - Os Sandinenses, 0

Opinião: 
Texto e fotos: Ricardo Castro
.
Morais abriu para o bis de Jorge
.
- Arões lidera isolado à condição
.
O trabalho está a mostrar os seus resultados. Ao fim de quatro jornadas, outras tantas vitórias no campeonato. A equipa júnior do Arões recebeu e venceu a formação d’ Os Sandinenses, por 3-0.
.
A história do desafio teve o primeiro capítulo aos cinco minutos. Morais abriu o livro de grande
penalidade, depois de um livre marcado pelo próprio, no qual o árbitro auxiliar considerou ter havido uma mão na área.
.
Mas a resposta não se fez tardia: aos sete, Rui Pedro defendeu um remate forte de Bruno. Aos 25’, Miranda fez a bola bater na trave da baliza aronense. O mesmo jogador viu Rui Pedro defender um livre em cima da linha, aos 44 minutos. Três momentos em que atenção e sorte protegeram os locais.
.
A vantagem do Arões manteve-se até ao descanso. Depois do golo, a equipa de Miguel Castro não dispôs de grandes ocasiões. As investidas do veloz Miki e os passes a rasgar de Morais abalaram a defensiva contrária. Mas faltou mais decisão na hora de atacar a baliza.
.
O Arões regressou dos balneários em busca do segundo golo. À hora de jogo, os sinais dados traduziram-se em eficácia. O cruzamento da direita de Miki encontrou a cabeça de Jorge ao segundo poste. Estava feito o 2-0.
.
Depois do primeiro, Morais tentou dobrar a conta pessoal. Filipe, com uma defesa apertada, evitou uma vantagem mais tranquila. Não dobrou Morais, mas Jorge tratou de fazê-lo pouco depois. Aos 74 minutos, o extremo surgiu pela direita e, em diagonal, rematou em arco ao ângulo.
.
A equipa de Miguel Castro segue invicta e ocupa provisoriamente a liderança, com 12 pontos. Contudo, o Polvoreira pode igualar, caso vença o jogo deste domingo. Segue-se o Prazins e Corvite na próxima jornada, onde o Arões volta a jogar na condição de visitado.
.
Jogo realizado no Parque Desportivo – Centro para a Formação e Juventude de Arões.
.
Árbitro: Luísa Azevedo, auxiliada por Rui Mota e Paulo Fernandes.
.
ARÕES SC: Rui Pedro, Marco, Filipe, JP, Rui Marinho, Pizarro, Morais, Cenoura, Jorge, Rui Pedro e Miki (cap.). Suplentes: Rúben, Vítor, Barros, Roberto, Marquinhos, Lizuarte e Luís Filipe. Treinador: Miguel Castro.
.
OS SANDINENSES: Filipe (cap.), Dani, Cláudio, Miranda, Bruno Silva, Nelsinho, Isidro, Sousa, Almeida, Toninho e Ricardinho. Suplentes: Rafa, Elísio, Pedro Nuno, Pedro, Silva e Luís Filipe. Treinador: Ricardo Marques.
.
Marcador: Morais, 5’ (g.p), Jorge, 60’ e 74’.
.

Dérbi a abrir em busca dos primeiros pontos

Opinião: 
Texto: Ricardo Castro
.
Agrupamento recebe Serafão pelas 15 horas
.
A bola volta a rolar em Santa Cristina. O Agrupamento recebe, este sábado, o vizinho Serafão, num dérbi fafense a contar para a 1.ª jornada do Campeonato de Futebol Popular de Fafe.
.
A competição, organizada pela Associação de Futebol Popular de Fafe (AFPF), conta este ano com oito equipas. Seis são de Fafe: Agrupamento, Serafão, Amigos de Quinchães, São Clemente e os regressados Pardelhas e SR Cepanense. A Póvoa de Lanhoso conta com a equipa Fontarcada/Oliveira e o concelho de Vila Verde também aderiu à prova, com a formação do Águas Santas/Moure.
.
Depois do título conquistado na época passada pelo GD Fareja, é certo que este ano o campeonato terá um novo vencedor. O Agrupamento parte com uma equipa sempre candidata aos melhores lugares, mas conta este ano com adversários que apetrecharam bem os seus planteis, em busca de uma época a níveis máximos de competitividade.
.
O apito inicial para a edição 2014/2015 é dado este sábado, pelas 15h00. O Agrupamento começa a busca do título, num duelo fafense que promete grande disputa de início a fim.
.

Belenenses treina este Sábado em Arões

Opinião: 
Texto: João Carlos Lopes
.
Uma presença histórica na Vila
.
O histórico Clube de Futebol Os Belenenses vai treinar este Sábado, pelas 18 horas, no campo sintético do Centro para a Formação da Juventude de Arões, local onde joga habitualmente o Arões SC, segundo confirmou o presidente da Direcção do clube aronense Ricardo Martins.
.
Esta visita do Belenenses a Fafe está relacionada com o jogo que a formação da capital vai realizar no próximo Domingo no sintético da equipa famalicense da Associação Desportiva Oliveirense, a contar para a 3.ª eliminatória da Taça de Portugal.
.
Não deixa de ser relevante a visita deste Clube que já foi campeão Nacional, nem o campo do CFJA terá em toda a sua vida tão ilustres visitas de clubes com história e que militam no Campeonato principal do futebol português.
.
O emblema da Cruz de Cristo, que é actualmente treinado por Lito Vidigal, é considerado um clube simpático que cativa adeptos em todo o mundo. Um dos seus sócios mais ilustres foi o malogrado piloto de Formula um Ayrton Sena da Silva.
.
O Arões SC sente-se orgulhoso de receber tão ilustre visita pelo que o seu presidente aceitou de bom grado o pedido para treinar da formação lisboeta.
.  

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Juniores: dérbi resolvido ao cair do pano

Opinião: 
Redação | Foto: DR
.
Arões partilha liderança após vitória na Pica 
.
Equipa de Miguel Castro segue invicta no campeonato
Três jogos, três vitórias. Por alturas de 13 de Outubro, um começo imaculado para os juniores do Arões. No primeiro derby da época, triunfo na Pica por duas bolas a uma. Pizarro inaugurou o marcador a meio da segunda parte, empatando o Pica cinco minutos depois, por César. Rui Pedro decidiu o jogo no último lance do desafio. A equipa de Miguel Castro segue no topo da tabela, a par do Polvoreira.
.
O jogo começou disputado e equilibrado. Duas equipas bem organizadas no terreno de jogo, numa fase de estudo mútuo nos primeiroscminutos. Aos 15’, boa jogada do Arões. JP descobriu Rui Marinho na esquerda, que efetuou um bom cruzamento, mas nenhum colega de equipa conseguiu a emenda. Na sequência do lance Cenoura rematou de pé esquerdo, obrigando o guarda-redes adversário a desviar para canto.
.
O Pica respondeu com perigo. Na sequência de uma falta não assinalada sobre o lateral direito Marco, a bola sobrou para um jogador do Pica que, com um belo passe em diagonal, serviu um companheiro na direita do ataque. Este, em boa posição rematou forte por cima da baliza.
.
Rui Pedro respondeu a passe de Miki. De costas para a baliza, rotação e remate de pronto, mas a bola passou ligeiramente ao lado do poste. A equipa de Miguel Castro teve outro lance de perigo através de Jorge, que solicitado por Cenoura no flanco direito ultrapassou um adversário em diagonal e remata em arco fazendo a bola passar muito perto do poste. A meio da primeira parte o Pica ficou reduzido a 10 jogadores por expulsão de Duarte, que viu o segundo cartão amarelo após derrubar Roberto quando este conduzia a bola em direção á baliza adversária com alguns colegas de equipa bem desmarcados.
.
Com menos um elemento, o Pica manteve uma boa organização coletiva e a  primeira parte terminou com o nulo no marcador . A segunda parte iniciou com a mesma toada da primeira mantendo o Pica organizado e a procurar sempre que possível colocar em sentido a defensiva aronense. A equipa de Miguel Castro entrou com vontade de assumir o jogo e procurar a vitória. Nesta fase, ambos treinadores foram efetuando algumas substituições para tentar alterar o rumo dos acontecimentos. O Arões criou duas situações de perigo na sequência de pontapés de canto e ambas por Pizarro, sendo que na primeira faltou a emenda em posição favorável e na segunda cabeceou ao lado.
.
 A meio da segunda parte e novamente na sequência de um pontapé de canto, o Arões chegou à vantagem através de Pizzaro que já vinha ameaçando e à terceira concretizou.
.
Volvidos cinco minutos, o Pica alcança o empate na sequência de uma bela jogada individual de Ricardo Cunha que sobre a esquerda ultrapassa vários adversários em velocidade e na linha de fundo executa um belo cruzamento para César, que bem desmarcado finalizou de cabeça. O Pica criou outra situação de perigo na sequência de um pontapé de canto através de Toni, que sem marcação cabeceou ao lado. O guarda-redes aronense, Rui Pedro, fez bela defesa na sequência de um livre bem marcado por Tchico.
.
Contudo, nos últimos minutos, o Arões pressionou o seu adversário e acreditou que podia chegar à vitória conquistando algumas faltas em zonas perto da área originando livres em posições favoráveis.
E no ultimo lance do desafio, na sequência de um pontapé de canto a bola sobrou ao segundo poste para Rui Pedro que dominou de peito e rematou com força tendo a bola sofrido um ligeiro desvio e entrado na baliza junto ao poste contrário. Um final dramático que despertou naturalmente emoções oposta nas duas equipas, euforia para a turma do Arões e tristeza para a equipa do Pica, sendo de realçar, contudo, um grande respeito entre os jogadores e técnicos das duas equipas ainda no relvado. A vitória sorriu ao Arões, num jogo muito bem disputado entre duas equipas fafenses. Na próxima jornada, o Arões recebe o Sandinenses.

.

Arões SC: jornada vitoriosa para os escalões de formação

Opinião: 
Texto: Ricardo Castro
.
Duas goleadas e triunfo no dérbi júnior
.
Foi uma jornada triunfante para as camadas jovens do Arões, a atuar nos campeonatos distritais da AF Braga. Em três jogos, outras tantas vitórias. Iniciados, juvenis e juniores confirmaram, neste fim-de-semana, o bom início de temporada.
.
No escalão de Iniciados, a equipa aronense respondeu da melhor maneira à derrota sofrida na jornada anterior (0-4) ante o Ponte. Os pupilos de Rui Almeida receberam a equipa C do Vitória SC e venceram por 5-0. Ao cabo de três jornadas, o Arões ocupa o terceiro lugar, com mesmos seis pontos que o Ponte, que lidera com menos um jogo.
.
Em Juvenis, o professor Ricardo Cunha tomou, mais uma vez, a lição por bem estudada. Depois da goleada (0-7) em Guilhofrei, o Arões voltou a vencer por números gordos. Desta vez, e diante do Airão, triunfo por 6-0. Cumpridas três jornadas, o Arões é segundo classificado, com seis pontos e com menos um jogo (devido à folga da 1.ª jornada), estando apenas a um ponto do Vieira SC. Destaque ainda para o registo de golos: um score de 13-0 que dá, neste momento, o estatuto de melhor ataque e melhor defesa.
.
Em Juniores, será talvez o melhor começo de sempre do escalão nos campeonatos distritais de Braga. Três jogos, outras tantas vitórias. A equipa de Miguel Castro venceu o dérbi fafense na Pica por duas bolas a uma e continua no topo da tabela. Um golo no último lance do jogo deu a vitória aos aronenses.
.

sábado, 11 de outubro de 2014

Pró-Nacional: Arões SC, 2 - Maria da Fonte, 1

Opinião: 
Texto e fotos: João Carlos Lopes 
.
Rui foi a “Rampa” que o Arões precisava 
.
O Arões SC regressou às vitórias ao vencer o SC Maria da Fonte por 2-1, num jogo intenso e agitado, de muito contacto físico, digno dos melhores dérbis do concelho fafense. Pelo que as duas equipas fizeram, o resultado assenta bem ao Arões e marca a estreia de Rui Rampa que fez um exibição soberba na defesa e sentenciou o jogo com um golo marcado aos 89’.
.
O Arões vinha de uma série de maus resultados de tinha neste jogo uma oportunidade de devolver a confiança aos seus adeptos e na verdade estes empolgaram-se com a exibição, com os golos e acima de tudo com a atitude da equipa que mesmo quando sofreu um golo consentido teve a capacidade e reagir e correr atrás da vitória.
.
Depois de no minuto inicial Pedro Castro e de um lado e André do outro terem tentado o remate, a equipa de Miguel Paredes assumiu a partida e até podia ter marcado aos seis minutos quando André apareceu isolado mas não acreditou no lance acabando a bola por ir parar a Barbosa que obrigou Micael a grande defesa.
.
A pressão do Arões dói sempre alta e isso permitiu que chegasse com facilidade à área do visitante que não conseguia as linhas de passe para fazer fluir o seu jogo, obrigando a um jogo lutado entre as duas áreas.
.
Aos 21’, Zezinho fez um corte que podia ter isolado Zezé mas este não conseguiu o que pensou. Dois minutos depois Castro bateu um canto que sofreu um desvio para a linha lateral. Desse lançamento João Miguel desviou ao primeiro poste para depois Castro rematar primeiro conta um defensor e depois por cima da trave.
.
O Arões beneficiou de muitas faltas entre o meio campo e a área mas nem sempre tirou o melhor proveito das mesmas como aos 32’ e 33’ através de Pablo e Nuno Cunha.    
.
Aos 36’ o Maria da Fonte reclamou grande penalidade por alegadamente João Miguel ter sido agarrado na área e na jogada seguinte uma bomba de Barbosa bateu num defensor forasteiro.
.
O marcador podia ter funcionado aos 38’ mas Micael fez um defesa do outro mundo para negar o golo a Zezé quando este emendou já na pequena área. No mesmo minuto Marcos cruzou ao segundo poste onde apareceu Rampa a cabecear e a fazer a bola bater no poste mais distante indo parar nas mãos de Micael.
.
O Arões tinha farejado o golo e este apareceu aos 42’. Pablo isolou Zezé que ficou apenas com Micael pela frente tendo-lhe feito um grande chapéu.
.
O Maria da Fonte tentou mudar a agulha na segunda parte e aos 49’, Castro bateu um livre que Paulo Jorge resolveu a punhos. Aos 55’, foi Pablo a bater um livre que saiu por cima da trave.
.
O jogo continuou muito faltoso e o Maria da Fonte ia tentando chegar ao empate mas a defesa do Arões esteve sempre muito atenta. Porém, aos 68’, Pesca conseguiu meter a bola em Abreu e este dentro da área conseguiu a rotação mas disparou ao lado.
.
O golo do empate nasceu de uma infelicidade de Paulo Jorge, aos 77’ que não conseguiu agarrar uma bola batida de um livre tendo a mesmo ficado à mercê de Simão que junto ao segundo poste praticamente que encostou.
.
O Maria da Fonte animou e aos 84’, Paulo Jorge redimiu-se ao fazer uma grande defesa a remate de Simão, numa jogada em que Abreu já tinha enviado a bola à barra.
.
O Arões não desarmou e foi á procura da vitória a qual veio a suceder quando Zezé rematou e a bola, devolvida pela defesa sobrou para Rui Rampa que fez o tão desejado golo para a equipa aronense e veio colocar alguma justiça no resultado.
.
Jogo realizado no Campo do Centro da Formação para a Juventude de Arões, Fafe.
.
Árbitro: Francisco Gonçalves, auxiliado por Paulo Faria e André Mendes.
.
ARÕES SC: Paulo Jorge; Marquinhos, Fernando Beijinhos, Rui Rampa, Zezinho, Nené, Barbosa (Gustinho, 80’), Bruno Cunha, Pablo (Raimundo, 81’), André (Agostinho, 64’) e Zezé. Treinador, Miguel Paredes.
.
SC MARIA DA FONTE: Micael; Nuno Mendes, Rui, Serginho (Abreu, 63’), João Miguel, Gil, Leal (Marco, 30’), Pinto, Castro (Simão, 72’), Henrique e Pesca. Treinador, José Barroso.
.
DISCIPLINA: Cartões Amarelos – Castro, 14’; Gil, 51’; Pablo, 57’; Henrique, 60’ e 90’+1’, Zezinho, 68’; Nené, 84’ e Gustinho, 85. Cartão Vermelho: Henrique, 91’.
.
MARCADORES: Zezé, 42’; Simão, 77’ e Rui Rampa, 89’.
.

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Programa “Ser Solidário” encerra inscrições esta sexta-feira

Opinião: 
Redação
.
Oportunidade para estudantes que não acabaram o secundário
.
Mais um ano, mais uma oportunidade para ajudar. As inscrições para o programa “Ser Solidário”, abertas desde o dia dois de outubro, terminam esta sexta-feira.
.
O apoio previsto para o desígnio tem o valor de 200€ mensais e limite máximo de usufruto de oito meses. Ao longo desse período, os jovens estão obrigados a uma prestação de serviço de quatro horas diárias, cinco dias por semana.
.
De referir que se trata de um programa específico para jovens que não concluíram o 12º ano, que deixaram, no máximo, três disciplinas em atraso, ou para jovens que não ingressaram no Ensino Superior e que pertençam a um agregado familiar em situação de carência económica e social precária.
.
Para apresentar a candidatura, os interessados deverão dirigir-se ao Serviço Social do Município (Edifício da Câmara Municipal, Av. 5 de Outubro), com a seguinte documentação:
.
- Fotocópia dos documentos de identificação do jovem e restantes membros do agregado familiar;
- Atestado de composição do agregado familiar, emitido pela Junta de Freguesia;
- Fotocópia dos documentos comprovativos referentes aos rendimentos de todos os elementos do agregado familiar, designadamente: a) Declaração do modelo 1 do IRS ou, se for caso disso, declaração de isenção emitida pela repartição das finanças e os últimos recibos de vencimento ou outras remunerações; b) Rendas temporárias ou vitalícias; c) Pensões de reforma, de aposentação, velhice, invalidez ou outras; d) Quaisquer outros subsídios (desemprego, pensão de alimentos, RSI)
- Declaração emitido pelo Serviço de Emprego no caso de algum membro do agregado familiar se encontrar desempregado;
- Fotocópia do Certificado de Habilitações Literárias;
- Prova de ter concorrido ao Ensino Superior ou de matrícula para conclusão do 12.º ano.
.

Vídeo: Incêndio de carro na variante Fafe-Guimarães

Opinião: 
Filmado por Ricardo Teixeira


Incendiou-se veículo na variante que une Fafe-Guimarães

Opinião: 
Ao final da tarde desta quinta-feira na variante que liga as cidades de Fafe e Guimarães  na zona de Requeixo, Arões São Romão, um veículo de cor vermelha incendiou-se criando grande aparato no local com a presença dos bombeiros para combater as chamas.

A ligação entre as duas cidades ficou impossibilitada pela respectiva via no sentido Guimarães-Fafe. 

Ao que tudo indica lamentam-se apenas estragos materiais e os ocupantes do veículo estão a salvo.

Fotos do incidente da autoria de Fernando Silva:



IMAGEM AÉREA DO LOCAL :



Video:

««««brevemente»»»»

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Juniores do Arões somam e seguem

Opinião: 
Redacção
.
Miki e Morais colocam Arões no topo
Miki voltou a faturar pelo Arões

.
Os Juniores do Arões somaram a segunda vitória em outros tantos jogos do campeonato. Desta feita, triunfo caseiro diante do Airão, por duas bolas a uma. Miki abriu o activo à passagem da meia hora de jogo e Pedro Morais ampliou a vantagem na conversão de uma grande penalidade a meio da segunda parte. O Airão reduziu a desvantagem no marcador a cinco minutos do fim da partida.
.
O jogo começou com as equipas encaixadas, tentando o Arões assumir o jogo perante uma equipa bem organizada do Airão. A primeira grande oportunidade da equipa da casa surgiu através de um livre bem cobrado por Pedro Morais para o desvio de Miki, que obrigou o guarda-redes adversário a uma defesa apertada para canto.
.
A equipa visitante permanecia organizada no terreno e tentava em contra-ataques rápidos surpreender o Arões. A meio da primeira parte, outra boa oportunidade para a turma da casa através de Jorge, que bem desmarcado por Filipe, sobre a meia esquerda desvia a bola do guarda-redes passando a bola a centímetros do poste, sem que nenhum colega desviasse a bola para o fundo das redes.
.
A equipa do Airão deu o primeiro sinal de perigo na sequência de um livre sobre a direita que resultou num cabeceamento que passou um pouco acima da barra.
.
Morais fechou a contagem
de grande penalidade
Mas a resposta do Arões surgiu de seguida através do golo de Miki, que isolado por um desvio de cabeça de Lisuarte, perante a saída do guarda redes fez um belo chapéu inaugurando o marcador.
O Arões não abrandou com o golo e teve pouco depois a grande oportunidade da primeira parte. Cenoura rouba uma bola a meio campo e coloca Lisuarte perante o guarda-redes adversário saíndo o remate deste ultimo a poucos centímetros do alvo. A primeira parte terminou com o Arões a dominar o jogo, com boas trocas de bola e jogadas de envolvimento colectivo.
.
Na segunda parte o Arões entrou a tentar controlar o jogo para alcançar o golo que ampliasse a curta vantagem. E esteve muito perto de acontecer numa jogada em que Marco descobre Jorge na direita que efectua um cruzamento perigoso que é desviado por um defesa adversário que fez a bola passar a milímetros do poste.
.
O mesmo Jorge teve outra boa oportunidade para ampliar a vantagem quando isolado por Cenoura, sobre a direita concluiu a jogada com um remate que levou pouca força, facilitando a defesa do guarda-redes adversário. Os minutos passavam e a equipa adversária começava a acreditar que podia alcançar o empate tentava criar perigo em lances de bola parada onde colocava sempre muitos homens na área. Na sequência de um desses lances a defensiva da casa afasta a bola e Pedro Morais recupera e com uma bela jogada individual, onde dribla vários adversários, percorre cerca de meio campo e coloca  Miki numa posição favorável de finalização mas este permite a defesa ao guarda redes adversário.
.
Nesta fase do jogo, os lances de perigo ocorriam numa e noutra baliza motivando a desorganização nas duas equipas. O segundo golo do Arões surgiu numa jogada de insistência do recém-entrado Rui Pedro acreditando que podia alcançar a bola, chega primeiro que o guarda-redes adversário, sendo derrubado. Grande penalidade.
.
Na conversão, Pedro Morais ampliou a vantagem para a turma aronense não dando qualquer hipótese de defesa. Com uma vantagem mais confortável no marcador o Arões passou a circular mais a bola entre os seus jogadores na tentativa de controlar o jogo.
.
Contudo a equipa adversária reduziu a desvantagem a cinco minutos do fim na sequência de um pontapé de canto. Este golo fez acreditar a equipa adversária que o empate seria possível criando situações de embaraço na sequência de lances de bola parada onde colocavam todos os seus homens em posição de finalização. O jogo terminou pouco depois com a vitória do Arões perante um adversário competitivo, bem organizado e que nunca se deu por vencido.
.
O Arões está no terceiro lugar, com os mesmos pontos que os primeiros classificados, o Polvoreira e o Prazins. Na próxima jornada, há derby fafense, diante do Pica.
.

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Pró-Nacional: GD Serzedelo, 3 - Arões SC, 0

Opinião: 
Texto e fotos: Rui Silva
.
Sem golos há 300 minutos
.

- Arões só reagiu em desvantagem
.
Melhoria demonstrada no segundo tempo não chegou para “camuflar” má primeira parte. Em desvantagem ao intervalo (2-0) os pupilos de Miguel Paredes não conseguiram marcar quando estavam por cima e acabaram por sofrer o terceiro golo no final do encontro.
.
Sabia-se das dificuldades que o Arões iria encontrar no Campo das Oliveiras. Apesar de uma boa entrada do Arões, cedo o Serzedelo “arregaçou” as mangas e aos 12 minutos chegava ao golo, Hugo Matos na sequência de um livre apontava o primeiro para o Serzedelo, ao cabecear para o fundo das redes à guarda de Paulo Jorge.
.
Contrariedade para Lobo, que aos 12 minutos, por lesão abandonaria o retângulo de jogo para dar lugar a Fábio.
.
Aronenses intranquilos após golo, viram João Abreu desperdiçar uma excelente oportunidade quando este apareceu solto na área, mas rematou por cima. O Serzedelo assumia as despesas do jogo, equipa mais aguerridos na bola, perante alguma apatia dos fafenses.
.
A 3 minutos do intervalo, lance a meio campo, num ressalto a bola sobra para Canetas que ganha posição isolando-se, perante a saída de Paulo Jorge faz um chapéu para o que seria o 2 a 0.
.
Após longa paragem, Bruno Cunha estreou-se na presente época
Sobre o final da primeira parte, uma falta sobre Zézé, Garcia na marcação do livre atira por cima.
.
Para o segundo tempo, Miguel Paredes efetua dupla substituição, retira Agostinho e Garcia e entram Barbosa e Bruno Cunha, este último a estrear-se esta época.
.
O Arões entrou bem melhor, Pablo aos 47 minutos remata à entrada da área, mas sai à figura de João Nuno.
.
André de bola parada, a castigar falta sobre Bruno Cunha, num remate perigoso, vê a bola sair um nada ao lado. No minuto seguinte, a cruzamento de Zézé a defensiva Vimaranense quase fazia auto-golo enviando o esférico à barra. O Arões atravessava um bom período, mas sem conseguir chegara ao golo.
.
Aos 73 minutos, Hugo Santos perdoa a o segundo amarelo a Tiago Vieira por falta feia sobre André.
.
Faltava mesmo só um golo Aronense para relançar a partida, o facto é que tal não aconteceu e já no final do encontro denovo de bola parada Vitinha de livre direto enviava a bola ao ângulo da baliza de Paulo Jorge sentenciando a partida no 3 a 0 final.
.
As derrotas “pesam” sempre, mas Miguel Paredes e seus pupilos saberão digerir esta derrota e preparar o encontro do próximo sábado perante o Maria da Fonte que após vencer a semana passada em S. Torcato, empatou hoje em casa ante o Porto de Ave 0 a 0.
.
# ficha do jogo
.
Jogo realizado no Campo das Oliveiras – Serzedelo - Guimarães.
.
Árbitro: João Viana, auxiliado por Henrique Silva e Bruno Ferreira.
.
GD SERZEDELO: João Nuno, Tiago Vieira, Carlos Martins, Rui Torres, Rafa, Vitinha (cap.), Hugo Matos, Ventura, Canetas (Diogo Leite, 80’), João Abreu (Gutti, 60’) e Lobo (Fábio, 15’). Treinador: Hugo Santos.
.
ARÕES SC: Paulo Jorge, Marquinhos, Fernando Beijinhos (cap.), Nandinho, Zezinho, Néné, Pablo (Rosita, 65’), Agostinho (Barbosa, 45´), André Sampaio, Garcia (Bruno Cunha, 45’) e Zézé. Treinador: Miguel Paredes.
.
Disciplina - cartão amarelo: Pablo, 35’; Rafa, 50’; Barbosa, 52’; Vitinha, 57’; Tiago Vieira, 58´; Fábio, 62´; André, 63’; Hugo Matos, 87’.
.
Marcadores: Hugo Matos, 12’; Canetas, 42’ e Vitinha, 85’.
.

Futebol Popular – Supertaça: Agrupamento St.ª Cristina, 3 – ADC S. Clemente, 1

Opinião: 

.
Texto e fotos: João Carlos Lopes
.
Agrupamento teve mais argumentos
.
O Agrupamento de Santa Cristina venceu o primeiro troféu da temporada no Futebol Popular ao bater a ADC S. Clemente por 3-1 no jogo da Supertaça José Ribeiro realizado no Estádio Municipal de Desportos, em Fafe. 
.
A equipa de Santa Cristina chegou ao primeiro golo aos 7’ minutos numa jogada de costa a costa. O guarda-redes Flecha bateu a bola com força para perto da área do S. Clemente esta bateu na relva e ficou nas costas da defensiva onde apareceu Leonel a aproveitar um mau toque de um defesa contrário para atirar para o fundo da baliza. 
.
Aos 13’ novamente o Agrupamento em acção, com arranque rápido de Ismael, a cruzar para novo remate de Leonel para defesa de Gil.
.
Aos 15’ Diogo Durães ensaiou um remate de longe que Gil encaixou a dois tempos. O guarda-redes foi protagonista pouco depois ao fintar dois adversários perto da sua área. 
.
Aos 20’ o S. Clemente podia ter marcado, quando a bola foi metida nas costas da defesa do Agrupamento onde apareceu Maia a perder algum tempo e a conseguir apenas canto quando tinha tudo para o golo. 
.
O S. Clemente apareceu mais solto a partir dos 20’ de jogo mas foi o adversário a estar novamente perto do golo por Leonel quando desviou de um defesa e atirou ao lado. 
.
Aos 27’, Maia com um passe a rasgar isolou Liedson mas Flecha foi mais rápido e interceptou o lance. Aos 31’, rematou Carneiro mas saiu fácil para o guarda-redes. Seguiram-se mais um remate para cada lado, um de Cardoso e outro de Liedson, ambos ao lado.
.
Aos 38’ Liedson tentou um remate que saiu um passe mas sem que ninguém aparecesse para a emenda. 
.
Em tempo de compensação da primeira parte, Eurico por duas vezes na mesma jogada podia ter feito golo mas o remate foi travado já dentro da área. Ainda no mesmo lance Ismael Oliveira não conseguiu melhor que o colega. 
.
Na segunda parte o S. Clemente deu mostras de tentar chegar ao empate. Logo no primeiro minuto Carneiro tentou a sorte sem êxito, mas a resposta do Agrupamento não se fez esperar. 
.
Aos 47’ Ricardo entrou na área do S. Clemente de rompante tentou o passe mas nenhum colega percebeu a jogada. Aos 49’, rematou Cardoso para Gil ceder canto. Aos 50’, Fred isolado serviu Cardoso que só com Gil na frente atirou ao lado. Aos 51’, Leonel servido põe Eurico ganhou um canto.
.
O S. Clemente respondeu de bola parada aos 54’. Canto batido por Tikinho com Pedro Polícia a dar de raspão na bola. O mesmo jogador esteve perto de marcar aos 63. Também na sequência de um canto. 
.
O 2-0 surgiu aos 66’. Fred muito rápido pela direita meteu a bola em Rafa, que teve tempo de ajeitar e bater Gil. Aos 70’ esteve à vista o 3-0 com Ricardo a tentar servir Fred com a bola a ser cortada para canto. 
.
Aos 78’ Gil rasteirou Fred na área de forma propositada depois de ter chutado a bola. Ficou por marcar uma grande penalidade e em claro a expulsão do guarda-redes que nem amarelo viu.
O jogo ficou relançado aos 83’ quando Miguel fez grande penalidade sobre Cete. Pinto não desperdiçou e fez o 2-1. 
.
Foi sol de pouca dura o ânimo do S. Clemente porque uma bomba quase do meio campo de Diogo Durães na conversão de um livre directo, colocou o marcador em 3-1 e sentenciou o jogo aos 85.
.
Aos 86’ reclamou-se grande penalidade sobre Pedro Polícia na área do Agrupamento quando o mesmo se preparava para rematar e foi travado. 
.
Até ao final da partida e na compensação tanto uma como outra equipa tentaram chegar ao golo mas sem êxito.
.