terça-feira, 28 de abril de 2015

Juniores do Arões sagram-se campeões distritais

Opinião: 
Texto: Ricardo Castro | Foto: Rui Silva

Derrota do Polvoreira garante matematicamente o título

Os juniores do Arões sagraram-se, esta terça-feira e pela primeira vez na história, campeões distritais na 1.ª Divisão. A derrota do Polvoreira esta tarde (2-1 com o Torcatense), garantiu matematicamente o título à formação de Miguel Castro.

Os vimaranenses, com 45 pontos em 23 jogos, eram a única equipa que podia igualar os 60 dos aronenses e perderam essa hipótese no jogo em atraso em São Torcato.

Momentos depois da confirmação, o treinador do Arões falou num “título conquistado no dia-a-dia, em cada treino e em cada jogo”. Miguel Castro salientou ainda o compromisso total com o grupo. “Com o decorrer do tempo fomos acreditando que este sonho se podia tornar realidade, e esta deve-se aos jogadores que acreditaram neles próprios e têm trabalhado muito”, refere.

Miguel ressalva a importância do irmão e adjunto, Marcos Castro, numa “fundamental” união da equipa técnica. A três jornadas do fim, os juniores aronenses alcançam uma conquista histórica, dois dias depois dos juvenis terem conseguido o mesmo feito, na 2.ª Divisão Distrital do escalão.



segunda-feira, 27 de abril de 2015

Futsal: Arões está na final da Taça Cidade de Fafe

Opinião: 
Texto: Ricardo Castro | Foto: Pedro Veloso

Final inédita ante o Leões do Ferro

O futsal do Arões está de regresso aos grandes palcos. A equipa de José Salvador está na final da Taça Cidade de Fafe, depois de derrotar o Ribeiros, mas só no desempate por grandes penalidades (6-7).

Num jogo intenso e muito equilibrado, a equipa aronense esteve sempre em desvantagem, conseguindo adiar a decisão de um dos finalistas para o prolongamento, após o empate a três bolas. Nesse período, o Ribeiros voltou a adiantar-se. Contudo, o Arões chegou ao 4-4 e acabou por ser mais feliz na 'lotaria'.
.
Depois de eliminar um sempre candidato Santo Ovídio, o Arões regressa à final de uma prova que já conquistou. O jogo decisivo para a conquista do troféu é inédito, opondo a formação de Salvador ao Leões do Ferro, que derrotaram o Futsal Clube de Fafe, por 4-0.
.

domingo, 26 de abril de 2015

Pró-Nacional: AD Ninense, 1 - Arões SC, 3

Opinião: 
Texto: Ricardo Castro | Foto: ADN

Vitória mantém Arões na luta pelo topo

O Arões venceu em Nine por três bolas a uma e deu um passo importante para se manter na luta pela subida. A equipa de Miguel Paredes ascendeu ao segundo lugar e reduziu de quatro para dois os pontos de desvantagem sobre o líder Torcatense, que empatou em Celeirós (1-1).

Bruno Cunha inaugurou o marcador aos 14 minutos e Agostinho ampliou a vantagem aos 66’. A três minutos dos noventa, Cadete reduziu a desvantagem, mas Hugo Pinheiro confirmou a vitória aronense aos 89 minutos, ao marcar na própria baliza.

Os comandados de Miguel Paredes somam 53 pontos, mais um do que Ninense e Maria da Fonte, equipas ultrapassadas pelos aronenses nesta jornada e que se defrontam no Campo dos Moinhos Novos no próximo fim-de-semana. Já o Arões recebe o Celoricense e o Torcatense defronta o Terras de Bouro.

Jogo realizado no Complexo Desportivo de Nine.

Árbitro: Marco Teixeira, auxiliado por Cláudia Ribeiro e Pedro Bessa.

AD NINENSE: André Ferreira, Hugo Pinheiro, Meira (Luís Tiago, 85’), China, Cadete, Vítor, Christophe (João Filipe, 54’), Barroso, Rafa, Cesário (João Dias, 65’) e Canetas. Treinador: Hugo Santos.

ARÕES SC: João Nunes, Marquinhos, Fernando Beijinhos, Rampa, Zezinho, Gustinho, Bruno Cunha, Pedro Rosita (Barbosa, 62’), Agostinho, Pablo e Zézé (Raimundo, 45’). Treinador: Miguel Paredes.

Disciplina – cartões amarelos a: Christophe, 45’, Meira, 51’, China, 68’, Raimundo, 81’.

Golos: Bruno Cunha, 14’, Agostinho, 66’, Cadete, 87’, Hugo Pinheiro, 89’ (p.b).

Juniores – 1.ª Div. AF Braga: Cabeceirense, 0 – Arões SC, 4

Opinião: 
Texto e foto: Ricardo Castro

Morais abriu caminho à goleada aos 26 segundos

Os juniores do Arões foram a Cabeceiras de Basto golear a equipa local por quatro bolas a zero, em jogo da 26.ª jornada do campeonato.

Em dia de aniversário, Pedro Morais bisou na partida, abrindo o ativo aos 26 segundos e marcando o 0-3 na segunda parte, na recarga a uma grande penalidade que o mesmo falhou à primeira.

Pelo meio, Rui Pedro fez o segundo golo antes do intervalo e também chegou ao bis, fechando as contas do jogo com o quarto golo do Arões.

A equipa orientada por Miguel Castro está no primeiro lugar, com 60 pontos e pode sagrar-se campeã distrital já na próxima terça-feira, no caso de o Polvoreira – única equipa com hipóteses de fazer os mesmos pontos do Arões – não vencer o jogo em atraso diante do Torcatense.

Arões SC é campeão distrital de juvenis

Opinião: 
Texto: Ricardo Castro | Foto: Rui Silva

Empate do Torcatense garante título a quatro jornadas do fim

Depois da vitória ante o Cabeceirense, os juvenis do Arões confirmaram, fora de campo, o título de campeão distrital na Série D da 2.ª Divisão.

Este domingo, o Torcatense não foi além de um empate (2-2), diante do Ases de São Jorge e perdeu matematicamente a hipótese de chegar ao primeiro lugar.

Com 12 pontos por disputar nas restantes quatro jornadas, o Arões tem 14 de vantagem sobre a formação vimaranense, precisamente o adversário do próximo fim-de-semana.

A equipa de Ricardo Cunha soma 23 vitórias em 24 jogos e conta com 103 golos marcados e 11 sofridos. Os aronenses garantem o primeiro título distrital da história do clube e disputam, pela primeira vez na próxima época, a 1.ª Divisão Distrital.

sábado, 25 de abril de 2015

Juvenis - 2.ª Div. AF Braga: Arões SC, 4 - Cabeceirense, 0

Opinião: 

Texto: Ricardo Castro | Foto (arquivo): Rui Silva

Bis de Hugo e Marcelo 

A equipa juvenil do Arões impôs-se diante do Cabeceirense, ao vencer por quatro bolas a zero, em jogo da 26.ª jornada.

Hugo esteve em evidência na primeira parte, ao inaugurar o marcador aos nove minutos, repetindo a dose à meia hora de jogo.

Na segunda parte, foi a vez de Marcelo bisar. O médio fez o 3-0 aos 54’ e fechou as contas do jogo, na marcação de uma grande penalidade, aos 60 minutos.

O Cabeceirense só conseguiu criar perigo em livres laterais e frontais que não criaram grande perigo. Na frente, o avançado Armando tentou desequilibrar individualmente, mas os aronenses mantiveram a folha limpa na zona defensiva.

O Arões segue em primeiro lugar, com 69 pontos e desloca-se a São Torcato na próxima jornada.

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Juniores - 1.º Div. AF Braga: Arões SC, 1 - Arco Baúlhe, 3

Opinião: 
Texto e foto (arquivo): Ricardo Castro

Primeira derrota em casa

Os juniores do Arões sofreram o terceiro desaire no campeonato, ao perderem na receção ao Arco de Baúlhe, por três bolas a uma. Foi a primeira derrota da equipa fafense em casa.

Depois do nulo ao intervalo, o Arco de Baúlhe adiantou-se no marcador. O Arões podia ter empatado, numa ocasião soberana desperdiçada por Miki. Na resposta, os forasteiros foram eficazes e conseguiram surpreender, ampliando o marcador para 0-3. Vítor ainda encurtou distâncias, com um golo insuficiente para dar pontos à sua equipa.

Os aronenses falharam na concretização e acabaram vergados a um arco que apontou as flechas certas para derrotar o adversário.

A equipa de Miguel Castro continua no primeiro lugar, com 57 pontos. Segue-se a deslocação ao reduto do Cabeceirense, 10.º colocado, com 34 pontos.


sábado, 18 de abril de 2015

Juvenis – 2.ª Div. AF Braga: ARC Pencelo, 1 – Arões SC, 4

Opinião: 
Texto: Ricardo Castro | Foto: Rui Silva

Aronenses resolveram na primeira parte

Os juvenis do Arões continuam imparáveis no campeonato e somaram a 22.ª vitória em 23 jogos. Desta feita, em Pencelo, a equipa de Ricardo Cunha venceu por quatro bolas a uma.

Os aronenses chegaram aos quatro golos na primeira parte, resolvendo um jogo que se tornou de mais fácil gestão nos últimos 40 minutos, altura em que os vimaranenses marcaram o único golo na partida.

Telmo e Fred marcaram dois dos golos do Arões, tendo o Pencelo marcado por outras tantas vezes na própria baliza.

Na próxima jornada, o Arões recebe o Cabeceirense.

Pró-Nacional AF Braga: Arões SC, 2 - São Paio d'Arcos, 0

Opinião: 
Texto: Ricardo Castro | Foto (arquivo): Rui Silva
.
Zézé e Rosita no arco da vitória

O Arões somou a segunda vitória consecutiva na Pró-Nacional. Depois do triunfo em Ronfe, a equipa de Miguel Paredes venceu, em casa, o São Paio d’Arcos, por duas bolas a zero.

Aos 20 minutos, Zézé adiantou os aronenses na primeira parte e Pedro Rosita fixou o resultado em 2-0, à passagem da hora de jogo.

O encontro ficou marcado pela lesão do médio Néné, que saiu queixoso do gémeo aos 42 minutos e não se sabe se é opção para o jogo da próxima jornada, em Nine.

O Arões está provisoriamente em segundo lugar com 50 pontos, a quatro do Torcatense, que também venceu este sábado (2-1), ao Celoricense. Resta saber os resultados de Maria da Fonte e Ninense, este domingo, para saber se os comandados de Miguel Paredes mantém o posto na tabela classificativa.


segunda-feira, 13 de abril de 2015

Pró-Nacional: Desp. Ronfe, 2 - Arões SC, 4

Opinião: 
Texto: Ricardo Castro | Foto (arquivo): Rui Silva

Chapa quatro no regresso às vitórias

O Arões quebrou um jejum de cinco jogos sem vencer na Pró-Nacional, ao impor-se no reduto do Desportivo de Ronfe, orientado pelo fafense Paulinho Soares, por quatro bolas a duas. A equipa de Miguel Paredes somou o quarto triunfo fora de casa e aproximou-se do trio da frente, do qual só o Ninense venceu.

A turma fafense dispôs de algumas oportunidades no primeiro quarto de hora. Gustinho e Rosita visaram a baliza de Paulinho Batista, mas a pontaria não foi suficiente. Do outro lado, China deu o exemplo. Aos 20 minutos, o jogador do Ronfe ganhou a bola a meio campo e rematou de pronto para o fundo da baliza, surpreendendo João Nunes.

Mesmo em desvantagem, o Arões esteve mais perto da baliza do Ronfe e deu a volta ao marcador nos últimos cinco minutos da primeira parte, na sequência de dois livres de Gustinho, do lado esquerdo. No primeiro, Zezinho desviou para o coração da área e Agostinho desviou para o empate. Aos 44 minutos, Barbosa cabeceou ao primeiro poste e levou o Arões em vantagem para o intervalo.

No início do segundo tempo, o Arões esteve perto de aumentar a vantagem. Zézé rematou à malha lateral e, pouco depois, assistiu Agostinho, que chegou tarde ao cruzamento do avançado.

O jogo entrou numa fase de expetativa de parte a parte, com o Arões a tentar ampliar e o Ronfe em busca de uma vantagem outrora conquistada. Sem grandes oportunidades criadas, os técnicos mexeram no onze até ao último quarto de hora e o jogo animou. Aos 77 minutos, André errou por pouco a baliza, mas deu o melhor seguimento a um livre de Pablo no lance seguinte. Um desvio de cabeça certeiro dobrou a vantagem visitante.

Miguel Paredes esgotou as substituições e foi já com Raimundo em campo que o Ronfe reduziu a desvantagem. A cinco dos noventa, João Rui recebeu à entrada da área e rematou para o 2-3, devolvendo aos vimaranenses uma esperança desfeita dois minutos depois. Aos 87’, Pablo desmarcou Zézé e o avançado fez o quarto golo aronense. Já em tempo de compensação, Raimundo e André falharam a mão cheia de golos.

O Arões soma 47 pontos e subiu ao quarto lugar, fruto do desaire do Amares em Celorico (3-2) e derrota do Torcatense em Nine, deixa os fafenses a quatro pontos da liderança. Na próxima jornada, a equipa de Miguel Paredes recebe o São Paio d’Arcos.

Jogo realizado no Estádio do Desportivo de Ronfe.

Árbitro: Miguel Silva, auxiliado por Jorge Fernandes e João Pinheiro.

DESP. RONFE: Paulinho Batista, Guedes, Martins, Pinto, João Carlos, Diogo, Serginho, Zé Nuno (Élvio, 75’), China, Paulinho (João Rui, 57’), Luís (Varela, 55’). Treinador: Paulinho Soares.

ARÕES SC: João Nunes, Marquinhos, Fernando Beijinhos, Rampa, Zezinho, Néné, Barbosa, Gustinho (Pablo, 66’), Pedro Rosita (André, 75’), Agostinho (Raimundo, 82’), Zézé. Treinador: Miguel Paredes.

Disciplina – cartões amarelos: Zézinho, 42’, João Rui, 65’, Diogo, 78’, China, 90+1’.

Golos: China, 20’, Agostinho, 40, Barbosa, 44’, André, 78’, João Rui, 85’, Zézé, 87’.

domingo, 12 de abril de 2015

Juniores - 1.ª Div. AF Braga: Ponte, 1 - Arões SC, 1

Opinião: 
Texto e foto: Ricardo Castro

Igualdade feita na primeira parte

Os juniores do Arões empataram este domingo no reduto do Ponte. Um golo para cada lado, ainda no decorrer da primeira parte, ditou a divisão de pontos.

O central JP deu vantagem ao Arões, antes de a equipa vimaranense chegar ao 1-1 de livre direto, em cima do intervalo.

A equipa de Miguel Castro continua isolada no primeiro lugar, com 57 pontos e beneficiou da derrota do Polvoreira com o Sandinenses (2-3), para ganhar mais três pontos ao segundo classificado.

Na próxima jornada, o Arões recebe o Arco de Baúlhe.
.

Agrupamento Stª Cristina é o novo campeão no futebol popular

Opinião: 
Texto: Ricardo Castro | Fotos: Andreia Silva

Eurico mostrou caminho para o título

O Agrupamento de Santa Cristina sagrou-se campeão sénior da Associação de Futebol Popular de Fafe. Na última jornada da prova, a equipa aronense ganhou em Cepães por duas bolas a uma e conquistou a edição de 2014/2015, sucedendo ao Fareja, vencedor da época passada.

Com três pontos de vantagem para o Amigos de Quinchães, um empate bastava para a equipa de Hélder Oliveira festejar. Contudo, os aronenses não só somaram os três pontos, como viram o rival fafense perder ante o Fontarcada/Oliveira por 2-1, resultado que permitiu ao São Clemente chegar ao segundo lugar, depois da vitória (2-0) ante o Serafão.

Em Cepães, os adeptos deram o exemplo e marcaram presença em grande número, com destaque para os adeptos da equipa do planalto. Ao intervalo, o nulo no marcador e os da casa reduzidos a dez. O central Rui Freitas foi expulso, por acumulação de amarelos.

A explosão de alegria dos aronenses surgiu aos 55 minutos. Eurico combinou com Carlos e rematou com êxito de fora da área para um grande golo. Os visitantes podiam ter aumentado a vantagem, mas foi o Cepães a mostrar eficácia, empatando à entrada para o último quarto de hora.

O Agrupamento chegou à vitória já perto dos 90 minutos. Depois de um lance incrível em que Fred, Cardoso e Ricardo levaram a bola três vezes ao poste, o Agrupamento ganhou canto e Eurico deu o melhor seguimento à bola parada de Ricardo, desviando ao segundo poste para o fundo da baliza.

No final, a festa foi vermelha e verde. O Agrupamento terminou o campeonato com 33 pontos, mais quatro do que o São Clemente e mais seis face ao Amigos de Quinchães. O Cepanense fechou a época no 6.º lugar, com 16 pontos.
.

sábado, 11 de abril de 2015

Juvenis - 2.ª Div. AF Braga: Arões SC, 2 - Ponte, 0

Opinião: 
Texto: Ricardo Castro | Foto: Rui Silva

Marcelo e Telmo na ponte da vitória

Os juvenis do Arões venceram o Ponte, em casa, por duas bolas a zero, em jogo da 24.ª jornada da Série D da 2.ª Divisão Distrital.

Marcelo, aos 30 minutos, abriu a contagem de grande penalidade. Na segunda parte, Telmo correspondeu da melhor maneira a um livre lateral, fazendo o 2-0 com um toque de cabeça aos 67 minutos.

No final do jogo, o técnico do Arões, Ricardo Cunha, salientou a “entrega, luta e concentração, algumas boas jogadas, mas o Ponte também teve algumas oportunidades para marcar". O treinador do líder da prova disse ainda que a equipa mereceu “por inteiro a vitória”.

O Arões segue no primeiro lugar, com 63 pontos e na próxima jornada joga na condição de visitante, defrontando o Pencelo.

Revisão do Plano Diretor Municipal em Arões São Romão

Opinião: 
Redação
.
Documento discutido na Vila esta 2.ª Feira
.
O Plano Diretor Municipal de Fafe (PDM), em discussão pública desde 28 de março, passa por Arões São Romão esta segunda-feira, 13 de abril.
.
Em questão está a revisão de um documento que tem como objetivo trazer benefícios para o concelho de Fafe nos setores do Turismo, Agricultura e Indústria. Um realidade que visa colmatar uma lacuna e ser uma das "alavancas do desenvolvimento do concelho", como referiu o presidente da Câmara, Raúl Cunha.
.
Durante o período de discussão pública do PDM, até 27 de abril, todos os interessados podem solicitar quaisquer esclarecimentos, assim como formalizar, por escrito, reclamações e sugestões sobre a proposta, ou por email, para pdm.revisao@cm-fafe.pt.
.
Os documentos integrantes da proposta de revisão do PDM encontrar-se-ão disponíveis para consulta na Câmara Municipal de Fafe, de segunda a sexta-feira das 9h00 às 12h00 e das 14h00 às 17h00. Aos fins-de-semana e feriados, a autarquia está aberta das 10h00 às 13h00.

A quinta sessão da discussão do documento tem lugar no Auditório da Escola EB 2,3 de Arões, pelas 21h00.
.

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Miguel Castro: “Primeiro lugar está acima das expetativas”

Opinião: 
Por: Ricardo Castro

Depois de vários anos ao serviço do clube como jogador, Miguel Castro regressou ao Arões em dezembro de 2013 para treinar o escalão de juniores. Com ele, o irmão Marcos seguiu o mesmo caminho e é, desde então, seu adjunto. Até ao fim da última época, a equipa foi dos últimos lugares até ao nono posto no campeonato. Quase ano e meio depois de assumir o comando, e com um plantel praticamente novo para 2014/2015, os aronenses estão isolados no primeiro lugar, na melhor temporada de sempre do escalão nas provas distritais. O momento é positivo. A subida está à espreita. E o título também. Entre a importância da aposta do clube na formação, Miguel Castro não esconde o objetivo do primeiro lugar e da promoção, mas fala em mais metas a alcançar.

Que objetivos tinha o Arões quando iniciou a época?

MC: Os objetivos de época que a equipa técnica definiu passavam por reunir as peças que escolhemos, os jogadores e conseguir criar um grupo coeso, com identidade própria. Foi construir um plantel quase novo. Poucos jogadores transitaram da equipa de juniores do ano anterior e não é fácil criar rotinas e hábitos quando se muda tanto. Mas sempre acreditamos no nosso trabalho e esse foi sem dúvida um dos principais objetivos. Com o decorrer do trabalho, com o conhecimento mais profundo da equipa, outros objetivos foram naturalmente surgindo. Mas penso que é um processo natural em qualquer grupo de trabalho que tem vontade e capacidade para evoluir.


O primeiro lugar está acima das expetativas?

MC: Se esta pergunta fosse feita em junho de 2014, altura em que a equipa técnica começou a preparar esta época, a resposta é afirmativa. Apenas contávamos com seis elementos que transitavam da equipa anterior de juniores, com cinco que subiam do escalão de juvenis e 14 jogadores novos que não representavam o Arões. Após esse mês, fundamental para podermos avaliar alguns dos novos jogadores que vieram prestar provas, tentamos convencê-los a ficar no clube nesta nova época. Conseguimos 90% dos jogadores que escolhemos e aí, já com o grupo delineado, tivemos sempre uma meta para nós, que se baseia em acreditar no nosso trabalho como treinadores, nas nossas regras, na nossa filosofia e na vontade de sermos cada vez melhores. Transmitindo isso, sempre acreditámos que se os jogadores colocassem o grupo sempre acima do individual, tudo poderia acontecer. Trabalhando nos limites treino após treino, jogo a jogo, temos sempre a certeza que podemos disputar os três pontos com o adversário. Claro que isto tem implicado muito trabalho, muitas dificuldades, mudança de comportamentos e atitudes, tanto por parte dos jogadores como da equipa técnica. Um dos exemplos para a equipa técnica passou por ir ver jogos dos adversários, pois só assim poderemos conhecer antecipadamente algumas das suas características e preparar estratégias para os jogos, sem colocar em causa a nossa identidade como equipa. Tudo para dizer que o primeiro lugar está acima das expectativas, mas não para nós treinadores e jogadores, porque o grupo que criamos e fomos unindo a cada semana de trabalho, foi-se tornando cada vez mais forte e coeso, focado na vontade de criar uma mentalidade vencedora. Apesar de faltar muito campeonato e muitos pontos em disputa, ainda é cedo para fazer um balanço final. Mas olhamos para trás e, apesar de termos a noção que temos ainda aspetos a melhorar, sabemos que estamos no caminho certo e que esta posição na tabela classificativa, até ao momento, é inteiramente justa.


O ciclo recente de três jogos sem vencer abalou a confiança da equipa?

MC: Quem olhar para a nossa primeira volta, poderá simplesmente ver que tivemos 12 vitórias consecutivas, apenas perdemos um jogo e conseguimos 13 vitórias. Se fosse avaliar assim, era admissível que pudesse pensar na perda de confiança do grupo. Mas o futebol não se pode ver assim, pelo menos para nós, equipa técnica. Temos que ser justos e afirmar que cada vitória foi construída com muito trabalho, um espírito incrível do grupo com uma capacidade enorme de se adaptar às características com que nos íamos deparando, e com uma mentalidade vencedora que se traduzia também numa equipa ganhadora. Mas também temos de reconhecer que algumas destas vitórias tiveram também a chamada “estrelinha da sorte”, que na nossa visão veio de toda a dedicação, entrega e união do grupo. Partindo desta breve avaliação, temos a plena consciência que no futebol não se ganham todos os jogos. Existem muitas variáveis que podem interferir. Uma delas e a principal, é que disputamos jogos contra outras equipas que têm a mesma legitimidade em disputar os três pontos. Serve-nos aproveitar para evoluir ainda mais e retirar aprendizagens importantes para o futuro, pois a formação é um momento fundamental para ensinar, instruir, treinar e adquirir ensinamentos que serão a base para o próximo passo que os jogadores vão dar, assim como para nós treinadores. Esse ciclo (de três jogos) faz parte uma longa jornada que é um campeonato. Não podemos colocar em causa todo o trabalho semanal, nem tudo aquilo em que acreditamos. Analisamos no momento e no local certo e seguimos sempre fiéis aos nossos princípios, tendo sempre como meta o trabalho, o compromisso do grupo e a vontade em criar uma mentalidade vencedora. Assim estaremos sempre mais próximos de obter resultados positivos.


A vitória diante do Celoricense foi o tónico ideal para a reta final do campeonato?

MC: A equipa técnica sempre acreditou no seu trabalho, nos seus princípios e no grupo de jogadores que fazem parte o plantel. E como o grupo está comprometido consigo próprio, sabíamos que os resultados positivos voltariam a aparecer. Especificamente neste jogo, uma mensagem especial à equipa de juniores do Celoricense, que por motivos internos tinham solicitado o adiamento do jogo, mas que não foi possível ceder por questões de compromissos do clube. Tive a oportunidade de no final ir ao balneário deles dizer que a nossa vitória teve dignidade pelo esforço que eles fizeram para poderem estar presentes.


Qual o segredo de resultados tão positivos?

MC: Independentemente do que irá acontecer até final, podemos considerar que tem sido uma época positiva. Quanto ao segredo dos resultados, já tenho vindo a falar, é sermos fiéis a nós próprios, termos noção das nossas capacidades e das nossas limitações, seguirmos a nossa ideia, estarmos comprometidos e acima de tudo existir plena sintonia e confiança entre a equipa técnica. Só assim se forma um grupo unido, que traça um caminho e todos o seguem. E só assim o próprio grupo ultrapassa as adversidades que vão surgindo ao longo do seu percurso.


A aposta do clube na formação ajuda?

MC: Os clubes vivem mesmo da formação, ou deveriam. Gostava de lembrar que, da equipa de juniores do ano passado, cinco jogadores fizeram a pré-época com os seniores e destes apenas um, por motivos profissionais, não continuou. Se isto é a resposta de que há uma aposta na formação por parte do clube, acredito que sim. Assim como acredito que o clube está no caminho certo, pese embora ser cedo para nos compararmos a outros clubes que já têm tradição com a formação. Mas isso faz parte do crescimento e dos passos bem assentes que o clube está a dar. Espero que o rumo que o clube traçou seja o do seu crescimento, criando alicerces numa base de sustentação própria que a formação pode proporcionar e assim se poder olhar com compromisso para o futuro do clube, com confiança que está no rumo certo.


Faltam seis jornadas para o fim da prova. A subida é um objetivo assumido?

MC: A subida não é um objetivo assumido agora que faltam seis jornadas. Esse objetivo nasceu e foi-se desenvolvendo no grupo de forma natural ao longo do nosso percurso. Mas o nosso trabalho não termina aí. É um dos objetivos e posso garantir que temos mais metas que queremos alcançar. Por exemplo, ainda há jogadores que reclamam mais oportunidades. Temos ainda a meta de sermos a melhor defesa e o melhor ataque do campeonato, preparar os jogadores para a próxima época conforme o rumo que alguns vão traçar e outras metas mais direcionadas para o grupo. É preciso ter consciência de que no futebol, se falarmos em termos de conquistar títulos por parte dos clubes, a taxa de insucesso supera em muito a taxa de sucesso. Só uma equipa é campeã, todas as outras não o são e se multiplicar este facto por épocas e épocas, constatamos que este ciclo de conquista pode levar anos a acontecer, daí que os nossos objetivos não se findam em sermos campeões. É, antes, uma das metas que fomos criando, através de numa mentalidade vencedora do grupo, pois só assim poderemos ganhar em momentos da vida. Mas uma coisa não implica a outra. Considero ser mais importante um espírito vencedor que ganhador e quando conseguimos conciliar estes dois fatores, atingimos patamares de plenitude e aí surgem novas metas, novos patamares de responsabilidade e de dificuldade, onde o espírito vencedor tem que se manter sempre, mesmo que não se ganhe.


Nesse ciclo, duas vitórias garantem o título. É uma meta a atingir?

MC: Neste momento faltam-nos disputar seis jogos. Para nós, equipa técnica, isso traduz-se em 18 pontos para conquistar. Repare que há equipas ainda com 21, 24 ou 27 pontos para disputar. Ou seja, a matemática apenas servirá para confirmar factos, a classificação final. O nosso ciclo é o campeonato, que se vai fragmentando em jogos e cada jogo é para ser disputado de mesma forma, com o mesmo espírito, com o mesmo compromisso. O cumprimento das nossas metas será avaliado no final, porque até agora ainda não ganhamos nada. Reconhecemos que estamos bem posicionados para alcançarmos essa meta, mas não podemos abrandar, nem deixar de lutar por cada ponto que ainda podemos conquistar. 
.

terça-feira, 7 de abril de 2015

2.º BTT Desporto Escolar Arões Santa Cristina é no próximo sábado

Opinião: 
Redação 
.
Nas imediações da Escola EB 2,3 de Arões Santa Cristina
.
O 2º BTT Desporto Escolar Arões Santa Cristina realiza-se no dia 11 de abril nas imediações da Escola Básica dos 2º e 3º ciclos de Arões Santa Cristina (Fafe). Destinada aos escalões de infantis, iniciados, juvenis e juniores, a iniciativa contará com a participação das CLDE de Braga, Viana do Castelo, Porto e Entre Douro e Vouga.

O 2º BTT Desporto Escolar Arões Santa Cristina é organizado conjuntamente pela Associação de Ciclismo do Minho, Federação Portuguesa de Ciclismo e Desporto Escolar, sendo o segundo encontro promovido em 2015 no Minho depois da realização, em fevereiro, 1º BTT Desporto Escolar de Fragoso (Barcelos).

As atividades decorrerão entre as 9h30 e as 12h30 junto à Escola Básica dos 2º e 3º ciclos de Arões Santa Cristina (Fafe), destinando-se a estabelecimentos de ensino das Coordenações Locais de Desporto Escolar de Braga, Viana do Castelo, Porto e Entre Douro e Vouga.

O 2º BTT Desporto Escolar Arões Santa Cristina tem o apoio da Junta de Freguesia de Arões Santa Cristina, Câmara Municipal de Fafe,  Cision, Arrecadações da Quintã, Mapfre | Seguros, Raiz Carisma, POPP Design, Bike Magazine (revista oficial) e acmTV (televisão oficial).

sábado, 4 de abril de 2015

Futebol Popular: Agrupamento Stª Cristina, 3 - Pardelhas, 1

Opinião: 
Texto: Ricardo Castro

Dérbi decidido com bis de Ricardo

Depois de uma paragem superior a um mês no campeonato, o Agrupamento de Santa Cristina regressou da melhor maneira à competição, derrotando em casa o Pardelhas no dérbi fafense, por 3-1.

Ricardo foi o homem do jogo, ao apontar dois dos golos dos aronenses. O primeiro, de livre, inaugurou o marcador (10’) e o outro fechou as contas, de grande penalidade (80'). Pelo meio, Fred aumentou para 2-0 antes do intervalo, já depois de Miguel ter desperdiçado um castigo máximo.

Na segunda parte, o Pardelhas reentrou na discussão do resultado aos 70 minutos, com o 2-1 de grande penalidade, antes do líder do campeonato chegar ao terceiro golo.

O Agrupamento continua no topo da tabela, com 30 pontos. O Pardelhas está no quarto lugar, a dez da liderança.